Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

CONATEDU

CONATEDU
CONATEdu 3.0 - Congresso Nacional de Tecnologias na Educação

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

NOVO ESTUDO CONFIRMA - O AÇÚCAR É MESMO TÓXICO



Que o açúcar não é bom para a saúde, todos nós sabemos, mas agora, um novo estudo confirma que ele é mesmo tóxico.
O termo "tóxico" é o que foi literalmente usado por Robert Lustig, pesquisador e chefe do estudo realizado pelo Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, que analisou a dieta de crianças e jovens obesos entre 8 e 18 anos.
O estudo reuniu informações sobre a quantidade de calorias ingerida diariamente, em média pelos analisados. Um novo cardápio de 9 dias foi elaborado para cada participante, mantendo o mesmo número de calorias anteriormente ingerida. A única diferença da nova dieta é que a maioria do açúcar consumido foi substituído por amido. 
"Nós trocamos frango teriyaki por cachorro-quente de peru, iogurte adoçado por chips de batata e doces por bagels", diz Lustig. "Com isso, não houve alteração no peso dos jovens e crianças e nenhuma mudança nas calorias consumidas."
Depois de 9 (nove) dias tendo seu açúcar total reduzido para 10% de suas calorias diárias anteriores, eles mostraram melhorias em todos os resultados. Em geral, o nível de açúcar no sangue em jejum diminuiu em 53%, juntamente com a quantidade de insulina produzida (ela é necessária para quebrar os hidratos de carbono e açúcares). Seus níveis de triglicérides e LDL (o chamado "colesterol ruim") também diminuíram e, mais importante, eles mostraram menos gordura no fígado. 
Algumas crianças que eram "resistentes à insulina", ou seja, estavam em uma situação pré-diabetes, se tornaram somente sensíveis à insulina.
Diminuir o açúcar é prioridade
A dieta que ele forneceu as crianças não é considerada ideal a partir de uma perspectiva de saúde - amidos ainda são uma fonte considerável de calorias e podem contribuir para o ganho de peso. Mas Lustig contou com os amidos para provar cientificamente que o efeito do açúcar sobre o corpo vai além de calorias e peso. "Eu não estou sugerindo de maneira nenhuma que tenhamos dado a eles comida saudável", diz ele. "Demos-lhes comida ruim, comida pouco saudável, alimentos processados e eles, ainda assim, ficaram melhores. Imagine o quanto melhor eles teriam ficado se, ao invés de substituído, o açúcar tivesse sido retirado. Os resultados teriam sido surpreendentes. Essa é a questão."
A comunidade científica reconhece a importância e a seriedade do estudo, mas questionam se as crianças teriam mentido sobre o cardápio "habitual", anterior à dieta e pelo risco que de tirar o foco do problema da obesidade, que é realmente o grande vilão dos tempos modernos.
E você, o que acha? Será que não vale a tentativa de reduzir substancialmente o açúcar para melhorar a qualidade de vida e manter uma dieta saudável, sem substituições?

Nenhum comentário:

Postar um comentário