Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

sexta-feira, 24 de julho de 2015

KEPLER-452B: UM EXOPLANETA BASTANTE SIMILAR À TERRA


KEPLER-452B: UM EXOPLANETA BASTANTE SIMILAR À TERRA

Em uma videoconferência realizada hoje (23), a NASA anunciou a descoberta de um exoplaneta com possíveis características mais semelhantes com a Terra até o momento. 
 O registro foi realizado através de observações obtidas com o Telescópio Espacial Kepler e outros telescópios na superfície terrestre. 
O novo planeta, designado por Kepler-452b, orbita uma estrela do tipo espectral G2V, semelhante ao Sol, situada à 1.400 anos-luz na direção da Constelação do Cisne. 
Trata-se do menor planeta descoberto atualmente na “zona habitável” — região em torno de uma estrela onde é possível haver água líquida — de uma estrela tão similar ao Sol.
A estrela, com uma idade estimada de 6 milhões de anos, é mais antiga do que o Sol, por isto, apesar de possuir uma temperatura superficial similar — sendo do mesmo tipo espectral — é 10% maior e 20% mais luminosa do que a nossa estrela.
O Kepler-452b é 60% maior em diâmetro do que a Terra, sendo incluído na classe de planetas designados de “super-Terra”. 
Apesar da sua massa e composição serem ainda desconhecidas, com base nos dados obtidos pela missão Kepler, é muito provável que trate-se de um planeta constituído principalmente por rocha e metal. 
A órbita do planeta é bastante semelhante com a da Terra em torno do Sol: quase circular, com um ano de 385 dias terrestres e uma distância média à estrela hospedeira de 1,05 unidade astronômica. 
Lançado em março de 2009, o Telescópio Espacial Kepler possui capacidade de descobrir um exoplaneta ao medir uma tênue variação de luminosidade de uma estrela quando algum corpo passa diante dela, permitindo aos cientistas estimar o raio e a distância do objeto em relação à estrela hospedeira. 
Atualmente, o telescópio encontrou 4.696 candidatos à exoplanetas, sendo que 1.030 já tiveram sua existência confirmada, no total, os astrônomos já catalogaram 1.927 exoplanetas no Universo próximo. 
A descoberta do Kepler-452b é importante, mas não é inédita. 
No ano passado, astrônomos utilizando também o telescópio Kepler encontraram o primeiro exoplaneta com um tamanho similar ao da Terra, o Kepler-186f, no qual está na região habitável de uma estrela (www.goo.gl/3VlwSv). 
Mas a principal diferença entre o Kepler-452b e o Kepler-186f é a estrela que cada um deles orbita; enquanto a do 186f é uma estrela anã, a do 452b é muito mais semelhante com nosso Sol. 
Os cientistas esperam que o Telescópio Espacial James Webb, com lançamento marcado para 2018, consiga ter capacidade suficiente para detectar e confirmar a existência desses outros mundos ainda desconhecidos.
Fonte (em inglês): www.goo.gl/F9lGZW

sexta-feira, 10 de julho de 2015

CIENTISTAS FILMAM PLÂNCTON COMENDO PLÁSTICO EM GOTA D'ÁGUA

Um grupo de pesquisadores britânicos conseguiu registrar pela primeira vez em vídeo um plâncton (micro-organismo marinho) ingerindo uma partícula de plástico. O vídeo foi divulgado com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre o efeito negativo do plástico no ambiente.

Já se sabia que era possível encontrar restos do material dentro do aparelho digestivo de tartarugas marinhas, baleias e peixes. E também que o plástico está presente no interior de organismos menores, que formam a base da cadeia alimentar marinha.
Mas esta foi a primeira vez que pesquisadores registraram um grupo de copépodes (um zooplâncton que se alimenta de algas no oceano) ingerindo partículas plásticas.
As imagens foram gravadas com a ajuda de um microscópio pela produtora Five Films e por pesquisadores do Laboratório Marinho de Plymouth, no oeste do Reino Unido.
Para os autores, o registro mostra que a contaminação afeta até mesmo as menores criaturas do mar.
Reprodução e sobrevivência prejudicadas
As imagens, captadas dentro de uma gota de água, mostram como os copépodes usam o movimento de suas patas para atrair as partículas de poliestireno na água
A cada ano, 8 milhões de toneladas de resíduos plásticos chegam ao mar. Com o tempo, os pedaços maiores de plástico se decompõem em pedaços menores.
Segundo o pesquisador Mathew Cole, do laboratório de Plymouth, vários tipos de plâncton ingerem essas partículas de plástico, incluindo larvas de caranguejo e de ostras.
Em alguns casos, o plâncton excreta o plástico ingerido poucas horas depois. Mas em muitos casos, quando não têm acesso a outros alimentos, esse plástico pode permanecer dentro do sistema digestivo por até sete dias.
Isso reduz o ritmo no qual esses organismos consomem algas, o que prejudica sua reprodução e sobrevivência. Se outros organismos maiores consomem esse plâncton, as partículas tóxicas podem entrar na cadeia alimentar.
Fonte: BBC





quinta-feira, 9 de julho de 2015

NIKOLA TESLA CIENTISTA, INVENTOR E ENGENHEIRO, DESCREVE UM SMARTPHONE MODERNO ... EM 1926



Tesla o pai da corrente alternada. Nikola Tesla era um sucesso imbatível.

Nikola Tesla (1856-1943) foi um cientista pioneiro durante a virada do século XX, mais conhecido por suas contribuições para o projeto do sistema de fornecimento de energia elétrica moderno de corrente alternada (AC). Tesla foi físico, engenheiro mecânico e elétrico, inventor e futurista, bem como o possuidor de uma memória quase eidética – e queridinho da internet.
Ele falava oito idiomas e tinha 300 patentes até o final de sua vida. Nos últimos anos, seu legado tem passado por um grande ressurgimento. Como você já deve ter ouvido, o nome Tesla fica cada vez mais em evidência à medida que muitas de suas previsões sobre energia e comunicação têm se concretizado.
A citação a seguir mostra bem o quão profético Tesla podia ser. Ele basicamente resume um smartphone moderno em 1926, conforme registrado no livro “Lightning in his hand: the life story of Nikola Tesla”, de Inez Hunt:
“Quando [a conexão] wireless for perfeitamente aplicada, a Terra inteira será convertida em um enorme cérebro, o que na verdade é, sendo que todas as coisas são partículas de um conjunto real e rítmico. Seremos capazes de nos comunicar uns com os outros instantaneamente, independentemente da distância. Não só isso, mas por meio da televisão e da telefonia vamos ver e ouvir uns aos outros tão perfeitamente como se estivéssemos frente a frente, apesar de intervirem distâncias de milhares de milhas; e os instrumentos através dos quais seremos capazes de o fazer serão incrivelmente simples em comparação com o nosso telefone atual. Um homem será capaz de transportar um no bolso do seu colete”.
Poderíamos dizer que ele acertou em toda a parte tecnológica, mas falhou na moda, com essa parte do colete. Porém, os hipsters estão por aí aos montes, fazendo com que Tesla se prove um gênio ainda maior. [Big Think]
O Segredo de Nikola Tesla