Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

CONATEDU

CONATEDU
CONATEdu 3.0 - Congresso Nacional de Tecnologias na Educação

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

COBRA GIGANTESCA? ISTO JÁ ACONTECEU E PODE VOLTAR NO FUTURO


Montagem do esqueleto da cobra
Você está dormindo bem ultimamente? Então imagine: uma cobra do tamanho de um ônibus escolar com a boca com abertura suficiente para te engolir com os braços abertos. Este réptil não apenas existiu, como poderá voltar a existir. O motivo: as altas temperaturas da Terra.
Esta afirmação é  do estudo apresentado na revista ScienceWriters 2013. Durante um período conhecido como Máximo Termal do Paleoceno-Eoceno, as altas temperaturas favoreceram o crescimento dos répteis e atrapalhavam o desenvolvimento dos maníferos pequenos. Você consegue imaginar um cavalo do tamanho do seu gato de estimação?
O Paleoceno durou nove milhões de anos. Começou com o fim dos dinossauros há 65 milhões de anos atrás. Jonathan Blochm, paleontólogo do Museu de História Natural da Flórida, Estados Unidos, descobriu fósseis de tartarugas gigantestas e a cobra gigante conhecida como Titanoboa.
O répteis cresciam muito, mas na outra extremidade do espectro, os mamíferos eram muito menores em climas excessivamente quentes. Considere que neste período, o cavalo seria um perfeito animal de estimação. Quando as temperaturas dispararam duas vezes cerca de 55 milhões de anos atrás, os mamíferos encolheram, segundo estudo da Universidade de Michigan. O motivo: o fato de esta classe animal ter maior dificuldade em regular a temperatura do corpo e encontrar alimentos.
“Desenvolver a relação entre mudança de tamanho do corpo dos mamíferos e o efeito estufa, induzido pelo aquecimento global. Isto nos ajudaria a prever mudanças ecológicas para os próximos anos”, disse Will Clyde, da Universidde de New Hampshire, Estados Unidos.
Porém, antes de imaginar no surgimento de uma cobra gigante ou do cavalo menor que um gato, saiba que este animais demoram séculos para aparecer. Estas mudanças são lentas e somente seus tataranetos conhecerão estas espécies. Seria bom deixar uma anotação para eles sobre isto.


[Yahoo Notícias]

Nenhum comentário:

Postar um comentário