Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

domingo, 8 de janeiro de 2017

O FÓSSIL DE 52 MILHÕES DE ANOS QUE PODE DAR PISTAS SOBRE A ORIGEM DAS BATATAS, DOS PIMENTÕES E DOS TOMATES



O fóssil de um fruto "incrivelmente incomum", que existiu há 52 milhões de anos. Assim o cientista Peter Wilf descreveu a descoberta, feita na Patagônia argentina, do que parece ser um ancestral das batatas, dos pimentões e dos tomates.
A origem do achado é desconhecida: até agora só haviam sido encontradas algumas sementes.
Fóssil de fruto encontrado na Patagônia argentina pode revolucionar o que os cientistas sabem sobre a evolução das plantas
Os cientistas, no entanto, acreditam que o fruto é mais antigo do que se pensava até agora.
O exemplar é do gênero botânico Physalis, pertencente à família botânica das Solanaceae, e foi encontrado em uma floresta fossilizada na Patagônia.
No Brasil, há 32 gêneros e 350 espécies de Solanaceae. A família é importante para a alimentação humana e inclui a berinjela, o pepino, a batata, o tomate, a pimenta, o tabaco e flores como a petúnia, entre outros.
Incomuns e delicados
Além de chefiar a equipe que descobriu o fóssil do fruto, Peter Wilf é professor de Geociências na Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos.
"É o único fóssil de fruta encontrado que pertence a este grupo de plantas, agora com mais de duas mil espécies”.
Frutos secos de fisális moderna, que é encontrada na costa do estado americano da Flórida; fóssil argentino seria de uma planta semelhante, segundo os cientistas
"Muito da história evolutiva, especialmente das plantas, é em grande parte desconhecida porque é raro encontrá-las como fósseis", afirmou.
"Agora temos a descoberta destes fósseis incrivelmente raros e delicados. É incomum que algo assim tenha sido fossilizado."
Pistas da evolução
A fruta descoberta na Argentina é um parente muito próximo dos tomates mexicanos e das fisális.
A casca envolve um fruto pequeno, carnoso, de sementes múltiplas e comestíveis.
Acreditava-se que os tomates mexicanos e a fisális haviam evoluído mais recentemente, coincidindo com o período do surgimento da Cordilheira dos Andes.
Cinquenta milhões de anos atrás, a América do Sul estava mais próxima da Antártida e da Austrália do que está hoje, e a temperatura do planeta também era muito mais alta.
Os cientistas acreditam que vão descobrir mais fósseis de plantas na região.
"As descobertas na Patagônia provavelmente vão revolucionar algumas visões tradicionais sobre a origem e a evolução do reino vegetal", disse Rubén Cuneo, pesquisador do Museu Palentológico Egidio Ferulgio, em Chubut, na Patagônia argentina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário