Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

CONATEDU

CONATEDU
CONATEdu 3.0 - Congresso Nacional de Tecnologias na Educação

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

VENENO DE COBRA AFRICANA USADO PARA PRODUZIR ANALGÉSICO

Substância mostrou ser tão ou mais eficaz do que a morfina
Mamba-negra é mortal 
(Imagem: Bill Love, Blue Chameleon Ventures
Segundo um estudo realizado pela Universidade de Nice (França), o veneno da cobra africana mamba-negra contém substâncias que podem produzir analgésicos tão eficazes quanto a morfina. Os resultados mostram que dois peptídeos, chamados "mambalgines", presentes no composto são capazes de suprimir a sensação de dor. A investigação foi publicada na «Nature».
A mamba-negra (Dendroaspis polylepis) é uma das cobras mais venenosas do mundo e o seu veneno neurotóxico causa paralisia, podendo levar a vítima à morte em menos de 20 minutos se não for tratada rapidamente. Sem o tratamento é mortal em 100 por cento dos casos
A equipe, liderada por Sylvie Diochot, purificou os peptídeos do veneno e desenhou a estrutura dos compostos, analisando-os a seguir em ratos com vários ajustes genéticos e com dor. Os peptídeos agem inibindo proteínas da família das ASICs, encontradas na membrana dos neurónios e envolvidas no surgimento da dor.
Os resultados mostraram que os mambalgines bloqueiam um conjunto de canais iónicos neurológicos associados à dor e sem provocar efeitos secundários, como o risco de insuficiência respiratória provocada pela morfina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário