Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

CIENTISTAS ARGENTINOS DESCOBREM MECANISMO QUE AJUDA A ENTENDER ALZHEIMER

Cientistas argentinos descobriram um mecanismo que fornece novos dados sobre o funcionamento da comunicação entre neurônios, o que pode ajudar a compreender doenças como o mal de Alzheimer, informaram nesta segunda-feira à Agência Efe os responsáveis pelo estudo.
Trata-se de um mecanismo fundamental para a formação, fortalecimento e funcionamento das sinapses, ou seja, os pontos de comunicação entre os neurônios, explicou a Agência de Ciência e Técnica do Instituto Leloir, onde a pesquisa foi desenvolvida.
A equipe identificou neste processo de comunicação pacotes de ARN mensageiro (responsável pela transferência de informação do DNA) temporariamente inativos, denominados "focos de silenciamento de mensageiros", explicou Graciela Boccaccio, chefe do Laboratório de Biologia Celular do Instituto Leloir.
Com a formação desses pacotes, o ARN mensageiro não pode cumprir sua função, que permite consolidar a comunicação entre neurônios para memória e aprendizagem.
Os cientistas também identificaram neste processo a proteína Smaug 1, que, quando bloqueada, produz um defeito sináptico grave e os neurônios não se desenvolvem completamente, de acordo com o estudo.
"Esses defeitos são muito similares aos observados em várias doenças neurodegenerativas", disse Boccaccio.
Para a pesquisadora, o estudo dá uma luz sobre como funciona a sinapse e pode ajudar a criar novos caminhos para entender doenças como o mal de Alzheimer e a esclerose.
Durante o trabalho, publicado na revista "The Journal of Cell Biology", os cientistas analisaram, em roedores, neurônios do hipocampo, região do cérebro associada aos aspectos cognitivos.
Fonte: EFE
A Doença
Mal de Alzheimer é uma doença conhecida também como demência senil tipo Alzheimer e é bastante comum em pessoas idosas. O Mal de Alzheimer é causado pela idade avançada, filhos que nasceram com mães com mais de 40 anos, herança genética e traumatismo craniano. Pesquisadores dizem que a doença teria surgido pela teoria tóxica principalmente pela contaminação pelo alumínio, mas nada comprovado.
Cérebro de um portador de Alzheimer e de uma pessoa normal
No começo os sintomas do Mal de Alzheimer são pequenos como esquecimentos, normalmente aceito pelas pessoas por causa do envelhecimento, mas que vão se agravando gradualmente. Os idosos ficam confusos e podem até chegar a ficar agressivos, passando a apresentar distúrbios de comportamento e não reconhecem o seus familiares.
O tratamento do Mal de Alzheimer é para prevenir o avanço e evolução do Mal de Alzheimer e confortar quem tem a doença, ainda não foi descoberta a cura do Mal de Alzheimer, mas algumas drogas fazem efeitos para aliviar a doença.

Nenhum comentário:

Postar um comentário