Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

A BIODIVERSIDADE NO MUNDO ESTÁ AMEAÇADA


Os grupos ameaçados incluem 41% de todas as espécies de anfíbios, 25% de mamíferos e 13% de aves - Foto de Romeo Gacad/AFP
Mais de 400 espécies foram adicionadas nesta quarta-feira à lista de animais e plantas ameaçados de extinção.
Estes são os números do estado da biodiversidade no mundo, enquanto se realiza uma reunião ministerial sob os auspícios da Convenção sobre Diversidade Biológica (CBD) da ONU, em Hyderabad, Índia.
-- Das 65.518 espécies que integram a Lista Vermelha (de espécies ameaçadas) compilada pela União para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês), 20.219 estão em risco de extinção.
-- Destas, 4.088 estão em risco crítico de extinção, 5.919 em risco e 10.212 são consideradas vulneráveis. Sessenta e três espécies só sobrevivem em cativeiro e 795 desapareceram completamente.
-- Os grupos ameaçados incluem 41% de todas as espécies de anfíbios, 33% de recifes de coral, 25% de mamíferos, 20% de plantas e 13% de aves.
-- No ano passado, cientistas escreveram na revista científica Nature que o homem poderia ter desencadeado a sexta extinção em massa conhecida da história da Terra. A última foi a que acabou com os dinossauros, há cerca de 65 milhões de anos.
-- Por volta de 1,75 milhão de espécies de plantas, insetos e microorganismos foram identificados até o momento pelos cientistas, embora eles afirmem que existam entre 3 e 100 milhões de espécies na Terra.
-- A metade das áreas de pântano da Terra foi destruída nos últimos 100 anos, segundo pesquisa em curso intitulada TEEB, sigla em inglês para Economia dos Ecossistemas e Biodiversidade.
-- Entre os mais afetados estão os manguezais, que recuaram 20% (3,6 milhões de hectares) desde 1980.
-- A expansão humana levou à destruição de seis milhões de hectares de florestas primárias ao ano desde 2006, segundo a IUCN.
-- O percentual de reservas de peixes oceânicos que foi superexplorada, esgotada ou que está se recuperando da exploração aumentou de 10% em 1974 para 32% em 2008.
-- O líder do TEEB, o economista indiano Pavan Sukhdev, calculou que a perda da biodiversidade de traduz em um custo de US$ 1,75 trilhão a US$ 4 trilhões ao ano.
-- Os países prometeram realizar, sob as Metas de Desenvolvimento do Milênio, a "redução significativa" do percentual de perdas de animais e vegetais até 2010, um objetivo que foi amplamente descumprido, segundo a ONU.
-- A última conferência da CDB, em Nagoia (Japão), em 2010, adotou um plano de 20 pontos para reverter a perda da biodiversidade até 2020.
-- As metas do plano incluem reduzir à metade a taxa da perda de hábitats, expandir as áreas aquáticas e terrestres consideradas em conservação, prevenir a extinção de espécies que estejam atualmente na lista de ameaçadas, bem como restaurar pelo menos 15% dos ecossistemas degradados.
A preocupação não é pelo fato de que algumas espécies desaparecem, mas porque teme que estamos testemunhando uma extinção em massa. O que é preocupante, e muito a sério, é a capacidade de causar uma catástrofe para arrastar a própria raça humana.
O principal benefício da biodiversidade não é o uso direto da espécie, mas o funcionamento equilibrado dos ecossistemas. O fornecimento de água potável, regulação climática, controle de erosão e desertificação, a fertilidade do solo, ciclagem de nutrientes, pragas luta, manutenção de pastagens, a renovação da pesca e tratamento de resíduos e outros serviços ambientais intangíveis prevenção de desastres como naturais, opções de lazer e turismo ou a capacidade da natureza para se regenerar, todos dependem dos recursos do planeta, para manter as funções básicas de ecossistemas que têm encontrado o seu equilíbrio ao longo dos séculos. Todos os níveis de biodiversidade são inter-relacionados. Você não pode se concentrar em melhorar o rendimento das culturas, independentemente da fertilidade do solo, ervas daninhas, pragas, patógenos e animais polinizadores. Desflorestação, a drenagem de zonas húmidas, a pulverização em encostas, entre outros, pode significar um impacto irreversível sobre o meio ambiente e sua utilização. Gestão de conservação da biodiversidade significa conhecer a natureza de uma forma sustentável, para nós e para gerações futuras.



Nenhum comentário:

Postar um comentário