Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

SERPENTE AFRICANA MAMBA NEGRA, SEU VENENO PRODUZ "MELHOR ANALGÉSICO" DO QUE A MORFINA

Pesquisadores franceses do Instituto de Farmacologia Celular e Molecular em Nice descobriram que o veneno de mamba-negra, uma cobra africana considerada por muitos a mais mortífera do mundo, pode agir como um analgésico tão forte quanto a morfina, mas sem seus efeitos colaterais.
Os cientistas pesquisaram 50 espécies de cobras diferentes até encontrarem o que buscavam na mamba-negra ou mamba-preta (Dendroaspis polylepis), uma das cobras mais venenosas e rápidas do mundo.
Mamba-negra ou Mamba-preta (Dendroaspis polylepis
Seu veneno pode ser separado em vários compostos. Uma classe específica de peptídeos encontrada nesse veneno, chamada de mambalgins, tem capacidades analgésicas incríveis.
As mambalgins trabalham com um conjunto totalmente diferente de receptores do que a morfina, mas igualmente eficazes – ou até melhores.
A morfina age no caminho dos opióides no cérebro. Ela pode cortar a dor, mas também é viciante e causa dores de cabeça, dificuldade de pensamento, vômitos e espasmos musculares. Já as mambalgins combatem a dor através de uma rota totalmente diferente no cérebro, que produz menos efeitos colaterais.
Por exemplo, quando o analgésico feito a partir do veneno da cobra foi testado em ratos, a maioria dos efeitos colaterais da morfina não foi vista. As mambalgins foram tão eficazes quanto a morfina em acalmar a dor, mas não provocaram a mesma supressão respiratória, e, embora depois de cinco dias os ratos tenham mostrado alguma tolerância, esta foi menor do que com os opiáceos.
Espécies venenosas provocam ferimentos por picadas, arranhando ou picando
 suas vítimas e injetam a toxina.
Testes em células humanas feitos em laboratório também mostraram que as mambalgins têm efeitos químicos semelhantes em pessoas. 
No entanto, a pesquisa com humanos está no seu estágio inicial, e mais estudos são necessários antes da substância se tornar um analgésico comercial.[io9, BBC]

Nenhum comentário:

Postar um comentário