Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

PLANETA DESCOBERTO EM 2011 É FEITO DE DIAMANTE

Uma equipe franco-americana de astrônomos encontrou um planeta formado em grande parte por diamante, que tem o dobro do tamanho da Terra, e que registra altíssimas temperaturas e orbita em torno de uma estrela visível a olho nu, anunciaram nesta quinta-feira cientistas.
"A superfície deste planeta está provavelmente recoberta de grafite e diamante em vez de água e granito", disse Nikku Madhusudhan, da Universidade de Yale (Connecticut, nordeste), um dos autores da descoberta, publicada na revista Astrophysical Journal Letters, que também contou com a participação do Instituto de Pesquisa em Astrofísica em Toulouse, na França.
"Esta é nossa primeira visão de um exoplaneta (fora de nosso sistema solar) rochoso, com uma composição química radicalmente diferente da (composição) da Terra", acrescentou Madhusudhan em um comunicado.
lustração do interior do 55 Cancri-e (Foto: Reuters)
Este exoplaneta, denominado 55 Cancri-e, tem um raio duas vezes maior que o da Terra, de 12.747 quilômetros. Encontra-se a 40 anos-luz de nosso planeta (um ano-luz equivale a 9,461 trilhões de quilômetros), na constelação de Câncer.
O 55 Cancri-e gira tão rápido que orbita ao redor de sua estrela, chamada de 55 Cancri, em apenas 18 horas, contra os 365 dias da Terra ao redor do Sol.
Também é muito mais denso que nosso planeta, com uma massa oito vezes superior. As temperaturas em sua superfície alcançam os 2.148 graus e o tornam muito inóspito.
Este planeta foi observado pela primeira vez em 2011, quando passou em frente a sua estrela, o que permitiu aos astrônomos medir seu raio.
Esta informação, combinada com as estimativas mais recentes de sua massa, permitiu deduzir a composição química baseando-se em modelos informáticos de seu interior e calculando todas as combinações possíveis de elementos e componentes que produzem estas características físicas específicas.
Diferentemente do que os pesquisadores pensaram inicialmente, o exoplaneta não contém água e parece ser composto principalmente de carbono em forma de grafite e diamante, assim como de ferro e silício.
Segundo eles, a quantidade de diamante pode representar ao menos um terço de 55 Cancri-e, ou o equivalente a três vezes a massa da Terra.
Em comparação, o interior da Terra é rico em oxigênio, mas muito pobre em carbono, destacou Kanani Lee, geofísico da Universidade de Yale e também autor do estudo.
A identificação deste exoplaneta rico em carbono significa que "já não podemos supor que os planetas rochosos à distância têm a mesma composição química, a mesma atmosfera e a mesma estrutura interna que a Terra", disse Madhusudhan.
Segundo os cientistas, esta descoberta abre novos caminhos para o estudo dos processos geoquímicos e geofísicos de exoplanetas cujo tamanho é similar ao da Terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário