Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

AS FLORESTAS TROPICAIS



As Florestas Tropicais possuem domínios na África, no sul da Ásia, na América do Sul (Bacia Amazônica) e na Austrália. As florestas tropicais e subtropicais úmidas de folhas largas (Latifoliada), com alta taxa de pluviosidade, caracterizam-se por climas quentes e úmidos. A sua localização média situa-se entre os trópicos, num cinturão em torno do equador e nos sub-trópicos úmidos, dando origem à denominação de Floresta Tropical.

As regiões tropicais e subtropicais com baixa pluviosidade ou estações secas e úmidas distintas, abrigam florestas tropicais e subtropicais secas de folhas largas e florestas tropicais e subtropicais de coníferas. As florestas pluviais temperadas também ocorrem em algumas regiões costeiras temperadas úmidas. A temperatura média nessas florestas fica em torno de 20 °C e 32 °C. A pluviosidade anual tem média de 1200 mm.
Esse bioma possui aproximadamente 17 milhões de km² de florestas tropicais, o equivalente a 20% das terras do nosso planeta que ainda possuem uma razoável cobertura vegetal. Considerando a superfície continental e insular, essas regiões correspondem a 6% das terras do planeta. Mas os constantes ataques a estas regiões vêm reduzindo de forma acelerada a sua cobertura.
As espécies que compõe a fauna e a flora das florestas tropicais são formadas por uma grande variedade de tipos vegetais e animais, sendo essa grande biodiversidade uma das principais características desse bioma. Cerca de 60% de todas as espécies do planeta se encontram na floresta tropical e subtropical de folhas largas.

Os solos são pouco férteis, deficientes em minerais. São formados geralmente de uma camada de areia que promove a infiltração rápida da água. A decomposição da matéria orgânica (folhas, restos de seres vivos e fezes), proporcionada pela umidade, o calor e a sombra, formam uma camada de húmus com aproximadamente 50 centímetros de espessura. Muitos desses solos são constituídos de argila vermelha (laterita).
A floresta indo-malaia é mais espaçada em função dos constantes desmatamentos e outras formas de agressão processadas ao longo dos últimos milhares de anos. Estende-se pelas Filipinas, Nova Guiné, Bornéu, costa da Indochina e a costa norte da Austrália. A floresta tropical africana possui a menor área entre as três florestas tropicais. Compreende a região da bacia do Congo, a Libéria e o golfo da Guiné.
No Brasil esse tipo de bioma está representado pela Mata Atlântica e a Amazônia. A floresta atlântica é uma floresta tropical plena associada aos ecossistemas costeiros de mangues nas enseadas, fozes de grandes rios, baías e lagunas de influência. As florestas tropicais como a Amazônica, caracterizam-se pelo calor e pelo alto índice de precipitações. Possuem a maior variedade de plantas e animais do planeta.
As plantas mais abundantes das florestas tropicais são árvores com porte médio de 50 metros, a ramificação ocorre perto do topo formando uma espécie de teto, tendo um formato de andar inferior, que são as copas mais baixas. A estratificação resultante dos vários andares dá origem a diversos tipos de microclimas, que promovem diferentes graus de umidade e luminosidade.
As folhas desse tipo de vegetação são bastante elevadas, densas e não caem, são perenifólias – duradouras. De modo geral as folhas apresentam cor verde-escura, são amplas, largas (latifoliadas) com superfícies ventrais brilhantes, lisas e com as pontas formando uma espécie de goteira, que facilitam o fluxo de água.
As raízes são superficiais e os troncos geralmente são largos próximos da base, propiciando fixação ampla e firme. As espécies mais comuns são as trepadeiras as lenhosas, as epífitas e os cipós. Alguns tipos de epífitas (plantas que usam tronco de árvores como superfície de apoio) conseguem obter minerais e água diretamente do ar úmido das folhagens. Outros tipos de epífitas absorvem nutrientes de organismos em decomposição. Esse tipo de vida pode ser explorado por liquens, orquídeas, musgos e samambaias.
A luz que chega ao solo das floresta tropicais e subtropicais é muito tênue. A decomposição ocorre de modo acelerado, dessa forma poucas folhas se acumulam. Tudo que cai no solo desaparece rapidamente. Palmeiras, samambaias e cicadáceas são alguns tipos de plantas encontradas, possuindo um porte em torno de 20m, crescem abaixo da folhagem.
A fauna é composta de uma grande variedade de insetos, aves e animais que ocupam os topos das árvores. Algumas espécies de répteis e anfíbios também habitam as árvores (arborícolas). Os mamíferos possuem hábitos noturnos e alguns podem ser encontrados em árvores, como por exemplos macacos e esquilos. Outras espécies que habitam o solo são constituídos por mamíferos carnívoros (onças, gatos-do-mato) e herbívoros, além de anfíbios e répteis.
Na floresta Amazônica, a altura média das árvores pode chegar a 55 metros, com uma de grande variedade de espécies vegetais. A flora se apresenta fechada e heterogênea. Entre as espécies predominantes estão: bromélias, begônias, orquídeas, jequitibá rosa, cipós, jacarandá e peroba. Na fauna destacam-se: bicho-preguiça, capivara, mico-leão-dourado e onça-pintada.
Fontes: National Geographic --- WWF Brasil --- Greenpeace Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário