Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

terça-feira, 20 de novembro de 2012

INSETOS – SÃO MARAVILHOSOS QUANDO VISTOS AMPLIADOS

Igor Siwanowicz é o fotógrafo que captou as incríveis fotografias que mostramos nesta galeria. Igor, que é polonês, usa técnica de macro fotografia.
Formas e cores exuberantes do mundo dos insetos
 A macro fotografia é uma técnica que permite ao fotógrafo realizar close-ups dos objetos. Ela difere em várias maneiras dos outros tipos de fotografia: com frequência exige equipamentos muito especializados e que o fotógrafo considere uma extensa série de variáveis, entre elas as de luz, distância do objeto e ângulo de visão. É quase inacreditável a variedade de belas formas e cores que o mundo dos insetos pode apresentar. Qualidades que, a olho nu, passam geralmente despercebidas, mas que revelam toda a sua estupenda beleza quando captadas pela macro fotografia.
Igor Siwanowicz desenvolvendo com, sua lente fotográfica, este trabalho maravilhoso.

Como acontece com todos nós, o fotógrafo Igor Siwanowicz se depara com frequência com insetos: abelhas, moscas, formigas, borboletas, cupins, vespas, etc. A diferença é que nós os espantamos ou os observamos, porém sem vê-los cara a cara. Não podemos fazê-lo a olho nu. Igor o faz usando poderosas lentes de aumento ou, melhor ainda, as fotografa com câmeras dotadas de poderosos objetivos macro. O resultado é maravilhoso.
Quantas pernas tem a centopeia?
No caso desta centopeia – uma intrusa na galeria, já que ela não é considerada exatamente um inseto – sua cara permanece um mistério. Nem sequer uma boa macro conseguiu fotografa-la. Para compensar, com um pouco de boa vontade pode-se contar suas pernas e descobrir que as centopeias... não possuem necessariamente cem pernas!
Em geral, esses invertebrados têm mais, chegando a 400 pernas. Embora, recentemente, tenha sido descoberta uma espécie que se acreditava extinta e que possui 750 pernas.

O mundo colorido da borboleta
 A borboleta é sem dúvida o inseto mais espetacular do ponto de vista estético graças à fantasia das suas asas. O seu aparato bucal, em forma de tromba e chamado de espirotromba, lhe permite sugar o néctar das flores. Uma borboleta é capaz de visitar até 25 corolas por minuto! Elas não possuem uma boa visão, mas sua percepção das cores é ótima. São atraídas pelas cores muito vivas e quentes, como o vermelho e o amarelo, e podem distinguir o ultravioleta. Isso significa que uma flor que para vemos branca, para a borboleta aparece multicolorida.
 Crisálida vezes 8 mil
Antes de se tornar o ser voador tão admirado na natureza, a borboleta passa por três metamorfoses. A segunda delas é a fase da lagarta, quando o animal sai do ovo exclusivamente para se nutrir de folhas. Ela só interrompe a refeição quando chega à terceira fase, a da crisálida – cerca de 8 mil vezes mais pesada do que ao nascer. Alguns fósseis encontrados demonstram que as metamorfoses da borboleta permanecem as mesmas há cem milhões de anos.
O louva-a-deus tem visão panorâmica
Mantis religiosa, o nome científico do louva-a-deus, deriva do latim mantis que significa profeta ou adivinho. Ele se refere à postura desse inseto, no qual as patas anteriores são mantidas juntas, como se fosse uma pessoa em atitude de oração. Há muitas espécies de mantis. Uma das características que distinguem o gênero de todos os outros insetos é a particular mobilidade da cabeça, que pode voltear quase completamente, e a capacidade de direcionar o próprio olhar.
 Importuna e gulosa. Assim é a mosca
A mosca é certamente o inseto mais importuno que pode entrar em nossa casa. Seus receptores de movimento lhe permitem perceber o menor deslocamento do ar, e sua visão extremamente sofisticada lhe permite  visualizar movimentos em alta velocidade, “clicando” 250 fotos por segundo, enquanto o olho humano consegue “clicar” apenas 24. Ela possui um paladar extremamente sensível, a tal ponto que os receptores se localizam em todo o corpo, inclusive nas pernas, permitindo-lhe distinguir não apenas substâncias tóxicas mas também diversas nuances de doce e de amargo.
  Esposas assassinas
Elas têm fama de devorar seus parceiros após o amor, e isso é a primeira coisa que nos ocorre quando pensamos nas fêmeas do louva-a-deus. Nem todos porém sabem que existem diversas espécies de mantis além da “religiosa”, à qual pertencem as tais fêmeas canibais. Esta da foto, por exemplo, chama-se Pseudocreobotra e se distingue por possuir asas de borboleta e corpo claro. As manchas oculares, típicas das borboletas, presentes nas suas asas, lhes permitem enganar os predadores fazendo-os pensar que um animal muito maior está à espreita.
 Mantis: falsa planta, verdadeira assassina
Se por um lado o mimetismo das mantis serve como mecanismo de autodefesa, é também verdade que ele é usado como efeito surpresa nas emboscadas às suas próprias vítimas. É o caso da mantis Phillocranya Paradoxa, cuja cor e aspecto lhe possibilitam mimetizar-se perfeitamente fazendo-a aparecer como uma planta e permitindo-lhe estudar sua presa com toda tranquilidade, antes de lançar-lhe o certeiro golpe mortal.
 Os olhos da aranha saltadora
É curioso como os olhos desta aranha se parecem mais aos de um vertebrado que aos de um inseto. Seu alcance é como o de uma objetiva, mas seu campo de visão é muito estreito. Isso significa que essa aranha precisa mover seu corpo em várias direções para poder ver. Na foto, pode-se ver a retina do olho dessa aranha saltadora, composto de 4 faixas de minúsculas células sensoriais, bem no meio da imagem.
 Lagartixa de crista, uma artista de circo
A Rhacodactylus ciliatus, também conhecida como lagartixa de crista, é um dos membros mais curiosos da imensa família dos geckos. Elas possuem notável capacidade de correr pelas paredes e os tetos, graças a um sistema especial de pelos aderentes localizados nas palmas de suas quatro patas. Sua cauda, quando cortada, se regenera e depois de um tempo volta a ser exatamente a mesma. A lagartixa, obviamente, não é um inseto, e sim um réptil. Mas esta imagem obtida por Igor Siwanowicz é tão bela que decidimos oferecê-la ao leitor.
 Canhões de ácido fórmico
Essa lagarta se nutre de folhas de salgueiro, e costuma ser um animal bastante tranquilo. Mas se um predador tenta tocá-la, a lagarta da Cerura Vinula não hesita em se defender escondendo o rosto (de cor escura) e agitando as patas posteriores, em forma de longos chifres. Se isso não for suficiente, ela lança sobre o inimigo jatos de ácido fórmico armazenado em uma glândula instalada no tórax. Essa substância urticante costuma afastar os mal-intencionados.
 A aranha-pavão é um show
Coloridos de azul, vermelho e negro, os machos da Maratus volans, a aranha-pavão, possuem extensões parecidas com asas em seu abdômen. Esses apêndices cobertos de pelos podem aparecer e serem recolhidos, como a cauda dos pavões. São usados na época do acasalamento, para atrair as fêmeas. O terceiro par de pernas também é alçado e exibido. Ao se aproximar da fêmea, o macho faz vibrar suas pernas e cauda levantadas, fazendo passos de dança para a esquerda e a direita. Ambos os sexos chegam a 5 centímetros de comprimento. As fêmeas e os pequenos são marrons, mas cada espécie tem marcas coloridas que as distinguem dos parentes.
 A mantis bailarina é uma deusa
Na mitologia indígena das tribos Khoi e San (também chamados hotentotes) da África do Sul, certas espécies de louva-a-deus (Mantis religiosa) são consideradas divindades e devem ser respeitadas. As fotos mostram alguns desses insetos em posição de ataque, parecendo balarinos no desempenho de alguma dança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário