Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

terça-feira, 14 de agosto de 2012

DESCOBERTA UMA NOVA ESPÉCIE DE SAPO NA MATA ATLÂNTICA – RESERVA NATURAL SALTO MORATO

Uma nova espécie de sapo, denominado Brachycephalus tridactylus, foi descoberta recentemente na Mata Atlântica, na Reserva Natural Salto Morato, uma área 2,3 mil hectares administrada pela Fundação Grupo Boticário em Guaraqueçaba, no Paraná.
Na verdade, ele foi encontrado em fevereiro de 2007 pelo biólogo Michel V Garey, mas só foi reconhecido em junho deste ano. Agora, a descoberta foi publicada e oficialmente reconhecida na revista internacional Herptologica.
O sapinho de 1,5 centímetro de comprimento e cor alaranjada que vive acima dos 900 metros de altitude se destaca por ter apenas três dedos nos membros da frente.
Brachycephalus tridactylus
Ele foi visto durante um estudo da Universidade Federal do Paraná sobre a diversidade de rãs, pererecas e sapos em paisagens distintas. Os pesquisadores registraram 42 espécies de 9 famílias distintas, e acabaram encontrando o B. tricactylus, que não fazia parte do estudo.
Existem mais de 6,7 mil espécies descritas de anfíbios no mundo, e o nosso lindo país tem a maior diversidade deles: 946 espécies até o momento.
Porém, a população deste tipo de animal está cada vez menor devido à poluição da água e do solo, desmatamento, aumento da radiação ultravioleta e doenças, como fungos e vírus. Por exemplo, acredita-se que uma infecção fatal pelo fungo Batrachyochytrium dendrobatidis seja uma das principais causas do colapso generalizado de anfíbios nas últimas décadas. Estima-se que cerca de 40% das rãs, sapos e outros animais estejam em declínio.
“Precisamos preservar os locais onde eles ocorrem e estudar seus hábitos”, disse Garey. “Esta espécie, por exemplo, ocorre no topo dos morros onde o clima é mais ameno e úmido. Com o aumento da temperatura, ela pode não ter para onde ir, pois não existem lugares mais frios para ela se mudar”, finaliza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário