Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

quarta-feira, 27 de julho de 2011

ACORDO PARA CONTROLAR AS EMISSÕES DE GASES DO EFEITO ESTUFA, NÃO ALCANÇA SUA META.


Um acordo climático global para substituir o Protocolo de Kyoto ainda é possível, mas não será alcançado neste ano, disse na quarta-feira o principal negociador neozelandês para essa questão.
Inevitavelmente, portanto, haverá uma lacuna depois que expirar a primeira etapa de Kyoto, em 2012, disse o ministro para Negociações da Mudança Climática, Tim Groser, em entrevista ao final de dois dias de discussões envolvendo 35 países em Auckland.
Divergências entre países ricos e pobres sobre como controlar as emissões de gases do efeito estufa geram um impasse na substituição do Protocolo de Kyoto, o atual tratado climático da ONU, que obriga cerca de 40 países industrializados a reduzirem suas emissões até 2012.
Há vários anos a ONU promove discussões para tentar prorrogar Kyoto a partir de 2013 ou definir um novo acordo que estipule metas de redução das emissões para grandes nações poluidoras hoje isentas de obrigações, especialmente China, Índia e EUA.
"É como a água gotejando em uma pedra", disse Groser sobre o ritmo lento das negociações. "Raramente há uma reunião crucial. Trata-se de uma lenta construção sobre uma base internacional."
Todos os principais países desenvolvidos e emergentes participaram da reunião em Auckland, com exceção da China. Groser disse não saber a razão dessa ausência.
Gases que provocam o efeito estufa
As discussões se voltaram para questões técnicas como a medição, notificação e verificação das emissões em cada país. Diversos países, particularmente os Estados Unidos, exigem um sistema transparente que demonstre se as nações estão ou não cumprindo suas metas.
No mês passado, houve avanços ao longo de duas semanas de negociações na Alemanha, mas ainda há uma lacuna entre países desenvolvidos e não-desenvolvidos a respeito de quem deve arcar com o maior ônus na redução das emissões.
Os países pobres alegam que a responsabilidade deve ser dos ricos, que causaram a maior parte do aquecimento global por virem queimando combustíveis fósseis desde a Revolução Industrial, no século 18.
Por outro lado, o rápido crescimento econômico dos emergentes também se reflete em grandes emissões de carbono, a ponto de a China já ter se tornado o maior poluidor mundial.
"Posso ver todo tipo de razão para (o acordo) não acontecer, mas posso ver um cenário em que aconteceria", disse Groser.
Ele opinou que seria um equívoco depositar expectativas de definição de um acordo nas grandes reuniões internacionais, como já aconteceu na reunião de Copenhague em 2009. O próximo grande evento desse tipo será no final deste ano em Durban, na África do Sul.
Nota do Blog: O calor excessivo causado pelo aquecimento global já está sendo sentido pelos seres humanos, veja, por exemplo, o que está ocorrendo nos Estados Unidos, e pelos animais que até morrem por causa de altas temperaturas, só que não são apenas animais que morrem por causa dessas temperaturas acima da média, alguns seres humanos que não suportam tanto calor também vem a morrer, por detrás desta onda de calor sempre vem as tempestades que também fazem suas vítimas, é por isso que esse problema do nosso Planeta deve ser resolvido o mais rápido possível.

3 comentários:

  1. Pois é! Esta casta é muito resistente mesmo! "A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória". É assim que vamos construindo nossa felicidade ou a nossa desdita. Querendo ou não, seremos todos atingidos. Enquanto permanecem quieto, inoperantes, sem contestação alguma, o caldeirão está em ebulição. É sinistro!

    ResponderExcluir
  2. Gostaria muito de estar presente numa reunião desta; deve ser uma conversa de bêbados com malucos, ou seja, ninguém se entende. E a gente vai levando....

    ResponderExcluir
  3. Se eu pudesse, colocaria uma baita bomba nesta sala de reuniões! Até sonhar com a destruição destes abutres faz bem, viu?

    ResponderExcluir