Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

domingo, 3 de abril de 2011

Diagnóstico de gravidez: no início, sapos anunciavam a chegada de príncipes e princesas


Os primeiros testes, introduzidos há mais de meio século, eram feitos com sapos machos.
O teste laboratorial para diagnosticar a gestação foi introduzido no Brasil há mais de 50 anos. Na década de 50, o método, que levava o nome de seu criador, Galli-Mainini, baseava-se na injeção da urina de mulheres com suspeita de gravidez em sapos machos. A presença de gonadotrofina coriônica (hCG) na urina induzia o anfíbio à eliminação de espermatozóides. Além de pitoresca, a metodologia era trabalhosa e pouco sensível. No dia seguinte à injeção, o técnico coletava urina do batráquio e levava o material ao microscópio para a procura dos espermatozóides. Para completar, a gravidez só podia ser diagnosticada após quatro semanas de fecundação. Nos anos 60, surgiram os primeiros ensaios comerciais baseados em anticorpos contra hCG e em técnicas de hemaglutinação, alguns dos quais ficaram famosos, como o Pregnosticon®.
Este último tinha melhor reprodutibilidade e, em relação à técnica de Galli-Mainini, antecipava o diagnóstico de gravidez em pelo menos uma semana, mas sua sensibilidade ainda estava longe do ideal. Na década de 70, vieram os primeiros radioimunoensaios.
O Fleury Medicina e Saúde, desenvolveu seu próprio método, que entrou em rotina em 1977, utilizando soro, e tinha limite de sensibilidade de cerca de 10 UI/L.
Como inconveniente, tratava-se igualmente de um recurso trabalhoso, que empregava material radioativo e necessitava de 24 horas para ficar pronto, além de apresentar problemas de especificidade, em especial nos valores mais baixos.
A introdução dos ensaios imunométricos, com dois anticorpos monoclonais, revolucionou o diagnóstico de gravidez no fim da década de 80. Essa metodologia evoluiu e, atualmente, é rápida, específica e sensível, podendo ser realizada em soro ou em urina. Quando os testes são feitos em soro, os níveis de detecção, próximos a 2 UI/L, permitem detectar a gestação assim que se inicia a troca de substâncias entre o concepto e a mãe, ou seja, entre 10 e 12 dias após a fecundação. Em tempo: os sapos usados no teste de Galli-Mainini eram provenientes da Represa de Guarapiranga e viajavam de bonde até chegar ao Fleury. A obsolescência dessa técnica deu fim a mais uma profissão: a de caçador de sapos! 
Evolução de teste de gravidez:

Anos
Técnica
Limite de detecção (hCG)
Tempo de gestação
1950
Galli-Mainini
>500 UI/L
4 semanas
60/70
Pregnosticon
250 UI/L
3 semanas
80
Radioimunensaio
20 UI/L
2 semanas
90
Imunométrico 1ª geração
10 UI/L
2 semanas
2000
Imunométrico 2ª geração
2 UI/L
10-12 dia


Fonte:Fleury Medicina e Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário