Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

quarta-feira, 28 de março de 2012

FÓSSIL DE DINOSSAURO DE QUATRO ASAS É ENCONTRADO

Ele teria aproximadamente o tamanho de um pombo, cobertura de penas que o davam um aspecto de corvo e um formato de cauda que parece a de um pavão. Apesar disso, este animal que acabamos de descrever não é um pássaro moderno, e sim um recém-descoberto dinossauro de quatro asas, que viveu há cerca de 130 milhões de anos.
O Microraptor zhaoianus
Esta nova espécie, segundo pesquisadores da Universidade de Akron, em Ohio (EUA), seria pertencente ao gênero Microraptor, descoberto pela primeira vez em 2003. Tal gênero era composto por dinossauros carnívoros e emplumados, que habitavam a região nordeste da China desde o início do período Cretáceo (o último dos três grandes períodos em que houve dinossauros).
O  é peculiar por sua estrutura e por sua coloração. Na estrutura, destaca-se o fato de ter quatro asas ao invés de duas, já que as patas traseiras também eram dotadas de uma estrutura com penas.
Apesar disso, os cientistas acreditam que tais penas tinham papel meramente decorativo e o Microraptor sequer podia voar, uma vez que sua cauda comprida era um empecilho prático. Na primeira descoberta, os cientistas imaginaram que tal cauda seria um auxílio aerodinâmico, mas provavelmente ela fazia justamente a função contrária.
Outro fator interessante sobre este dinossauro é sua coloração, que os cientistas descobriram através da análise dos melanossomas, substâncias responsáveis por dar coloração às penas. Quanto mais os melanossomas estiverem condensados na estrutura da pena, mais escura ela era, e vice-versa.
Baseando-se nisso, os pesquisadores afirmam que o Microraptor tinha penas negras. O fato de serem negras, no entanto, esconde outra curiosidade: elas também eram iridescentes.
A iridescência é um fenômeno pelo qual uma superfície muda a cor e a intensidade do brilho conforme o ângulo do qual é observada, tal como uma bolha de sabão que reflete o arco íris. Mas os cientistas ainda não sabem precisar “quão brilhante” o Microraptor era.
Fonte: [MSN]

Nenhum comentário:

Postar um comentário