Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

sábado, 1 de setembro de 2012

TUBERCULOSE RESISTENTE A ANTIBIÓTICOS ATINGE NÍVEIS ALARMANTES

Propagação ocorre essencialmente em zonas com escassos recursos médicos e com acesso limitado a fármacos
Uma equipe internacional de investigação encontrou níveis alarmantes de tuberculose (TB) na África, Ásia, Europa e América Latina e é resistente a quatro antibióticos considerados bastante eficazes até agora.
O estudo, publicado na revista Lancet, explica que os casos de TB resistentes a tratamentos já alcançam níveis alarmantes e os tratamentos são cada vez mais caros e difíceis de desenvolver.
A investigação foi levada a cabo em oito países – Estônia, Letônia, Peru, Filipinas, Rússia, África do Sul, Coreia do Sul e Tailândia – e mostrou que pelo menos 43,7 por cento dos pacientes que sofrem com a doença não reagem perante um medicamento administrado após o fracasso de um primeiro antituberculoso clássico.
Tuberculose ultra-resistente responde a número ínfimo de fármacos
A maioria das recomendações para o controle de TB têm sido desenvolvidas para a prevalência da tuberculose multirresistente (TB-MR), cuja taxa oscilava nos cinco por cento, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS); no entanto, em determinados locais, a taxa de prevalência já surge superior a dez por cento.
A taxa de prevalência da tuberculose ultra resistente (TB-UR), uma forma que responde a um número ínfimo de medicamentos de segunda intenção, alcançou 6,7 por cento nos oito países estudados.
Tracy Dalton, líder do estudo e investigador dos Centros para o Controle e a Prevenção de Doenças nos Estados Unidos, refere que os casos de tuberculose ultra resistente tinham sido observados em 77 países, mas “a atual prevalência exata é desconhecida”. A situação é preocupante, afirmam os autores, já que a propagação ocorre essencialmente em zonas com escassos recursos médicos e com acesso limitado a fármacos.
Para tratar a doença, o processo é longo e prevê que os pacientes ingiram uma série de antibióticos durante seis meses, mas muitos dos indivíduos não completam corretamente o tratamento – medida que tem vindo a fomentar o aumento de formas resistentes a fármacos.
A TB é uma pandemia mundial que, segundo dados da Organização Mundial de Saúde, só em 2010 infectou 8,8 milhões de pessoas, levando mesmo 1,4 milhões à morte
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário