Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

sexta-feira, 18 de março de 2011

O PODER DO ZINCO NA SAÚDE HUMANA


Um artigo publicado na edição de Junho 2010 do American Journal of Clinical Nutrition descreve uma experiência clínica envolvendo homens e mulheres idosos o qual descobriu reduções nos marcadores de stress oxidativo e inflamação entre os que tomavam suplementos com zinco.
O stress oxidativo e a inflamação crônica são fatores de risco para aterosclerose, e o défice de zinco tem sido observado numa quantidade de outras doenças associadas com estas condições, incluindo artrite reumatóide, diabetes e cancro. “Anteriormente observámos que sujeitos idosos saudáveis tinham aumentado as concentrações de plasma lípido de derivados de peroxidação e as moléculas de adesão das células endoteliais, quando comparado com as concentrações em adultos jovens,” escreve o autor na introdução. “Sugeriu-se que o zinco tem uma função ateroprotetora devido às suas propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e outras.”
Num ensaio de dupla ocultação, 40 homens e mulheres saudáveis com idades entre os 56 e os 83 anos foram randomizados para receber 45 miligramas de zinco de gluconato de zinco e um placebo durante 6 meses. A proteína reativa-C (CRP), interleucina-6 e outros marcadores de inflamação foram medidos antes e depois do tratamento, bem como o malondialdeído e canais hidroxiais, que são marcadores de peroxidação lípida.
No fim do estudo, as concentrações de zinco eram mais elevadas no grupo de zinco, enquanto se mantinha relativamente inalterada entre os que receberam placebo. Os poderes antioxidantes do plasma eram elevados, e o malondialdeído e os canais hidroxiais eram mais baixos após seis meses, nas pessoas que receberam suplemento de zinco, indicando uma redução na peroxidação lípida. Além disso, a proteína C reativa ao plasma, a interleucina-6 e outros fatores associados a inflamação foram reduzidos entre os que tomaram zinco. “Que tenhamos conhecimento, este é o primeiro documento que mostra a regulação descendente de concentrações CRP de plasma por ação de suplemento de zinco em seres humanos,” observam os autores.
Numa outra experiência envolvendo culturas de células, o zinco também reduziu os indicadores de inflamação e peroxidação lípida, bem como a ativação do fator de transcrição nuclear kappa-beta, que está envolvido no início e no desenvolvimento de aterosclerose.
“Este estudo mostrou que o zinco aumentou o poder antioxidante e diminuiu o CRP, citocinas inflamatórias, moléculas de adesão, e marcadores oxidativos de stress em pessoas idosas após 6 meses de suplementação,” escrevem os autores. “Estas descobertas sugerem que o zinco pode ter um efeito protetor em aterosclerose devido às suas funções anti-inflamatórias e antioxidantes.”

Mais zinco, menos diabete

Farelo de Trigo

A boa notícia foi divulgada pela revista científica americana Diabetes Care. Ao analisar a incidência de diabete tipo 2 em mais de 80 mil mulheres com idade entre 33 e 60 anos, pesquisadores observaram que botar zinco no prato reduz em até 28% o risco de desenvolver a doença. “O mineral ajuda a regular a ação da insulina”, explica Qi Sun, líder do trabalho. E é justamente quando esse hormônio não funciona direito que se abre uma brecha para o problema. “Além disso, o zinco participa da formação de substâncias que protegem as células contra os radicais livres, moléculas que também favorecem o diabete”, acrescenta Qi Sun.
8 miligramas
Eis a dose diária de zinco recomendada a uma mulher saudável. Já os homens devem ingerir 11 miligramas. Uma única xícara de farelo de trigo dá conta do recado em ambos os casos
Onde mais ele está
• ostra
• amêndoas
• castanha-do-pará
• carne bovina
Também aposte no zinco para:
Turbinar o sistema imunológico, afastar problemas cardiovasculares, driblar a falta de apetite, deixar o cérebro em forma e melhorar a cicatrização.

6 comentários:

  1. Gosto muito deste tipo de informação.

    ResponderExcluir
  2. Outra coisa que é bom para a aumentar a imunidade e o Ascaridil, isto mesmo o remédio de verme, um comprimido de 4 em 4 dias em 6 ou 8 semanas.

    ResponderExcluir
  3. Não sabia que esse vermífugo tb tem essa função. Ótimo.

    ResponderExcluir
  4. Pois é, um remédio barato. Mais os médicos gostam é de empurrar as carbamazepinas na população.

    ResponderExcluir
  5. Excelente, amei seu blog, gosto de ser informada e também como disse-lhe passar não custa nada, está de parabéns continue assim,se todos fizessem o mesmo, estaríamos salvando muitas vidas...muito bem...

    ResponderExcluir
  6. Obrigado Sueli, o blog na verdade e seu também, pois és uma leitora dele. Quanto a passar informações é um dever nosso. Devemos disseminar isto para todo mundo, pois muitos não tem conheçimento de certas coisas benéficas ou maléficas para nossa saúde.

    ResponderExcluir