Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

quinta-feira, 31 de março de 2011

Radiação no mar é 4.385 superior ao normal no Japão

O nível de iodo radioativo na água do mar, a 300 metros ao sul da usina central de Fukushima, no nordeste do Japão, é 4.385 vezes superior ao limite legal,
informou nesta quinta-feir a Tokyo Electric Power (Tepco), empresa responsável pela usina. De ontem para hoje o índice de radioatividade subiu, pois na quarta-feira, a Agência de Segurança Nuclear e Industrial do país já noticiara que o valor de iodo radioativo na água do mar, naquela região, estava 3.355 vezes acima do aceitável. No sábado ele era 1.250 vezes superior, e no domingo, 1.850.
Ontem, o diretor-geral adjunto da Agência, Hidehiko Nishiyama, minimizou os riscos de contaminação pela água do mar, apesar de a população local ter sido evacuada e de não haver atividade pesqueira na região. Segundo ele, o iodo 131 se dilui na água, mas especialistas alertam que essa infiltração poderá trazer sérios riscos à natureza. De acordo com a Agência, vive-se um círculo vicioso, pois quanto mais se usa a água do mar para resfriar os reatores, mais esta água se contamina. As informações são da Associated Press. 

A poluição no oceano é uma preocupação para um país onde o peixe é parte central da dieta de seus habitantes.
Especialistas disseram que a vastidão do oceano e uma poderosa corrente deveriam diluir os altos níveis de radiação, limitando o perigo de contaminação aos peixes e ao restante da vida marinha.
Mas não está claro quanta radiação está se infiltrando no oceano e o controle das fugas poderia levar semanas ou meses, o que complica as avaliações precisas de risco.
Nesta quarta-feira, o Japão atualizou os seus padrões para usina de energia nuclear, o primeiro reconhecimento oficial de que suas normas eram insuficientes quando o terremoto de 11 de março danificou uma de suas instalações, desencadeando a pior crise atômica desde Chernobil, na Ucrânia, em 1986.
O primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, cujo governo enfrenta fortes críticas por sua administração do desastre, recebeu a confirmação do apoio americano em uma conversa pelo telefone nesta quarta-feira com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.
O presidente da França, Nicolas Sarkozy, visitará Tóquio na quinta-feira. Ele será o primeiro líder estrangeiro que visita o país após o desastre.
Em uma demonstração adicional de apoio, a França enviou dois especialistas de seu fabricante estatal de reatores nucleares Areva.
Fontes O Estadão e O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário