Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

sexta-feira, 13 de maio de 2011

SER VIRTUAL, E O VIVER UM TEMPO QUASE QUE IMEDIATO!!!

No mundo em que vivo, hoje, descobri que na minha casa só faço o necessário para a manutenção da minha vida. Porque isto? Por que vivo mesmo e num emaranhado de fios e teias que se chama rede mundial, sou um ser virtual, globalizado, moro onde quero, vou onde quero, observo e falo com quem eu quero. Já não tenho parada fixa, estou a qualquer momento em locais diferentes, de culturas diferentes e tendo até relacionamentos diferentes. Na vida não importa como somos, contanto que encontremos pessoas se que identifiquem conosco. Às vezes é tamanha simbiose que fica até confuso delimitar o “nós” e o “outro”. O que vale é que sejamos aceitos, e possamos rir e crescer juntos e mutuamente, compreendendo que cada um tem sua contribuição e suas limitações. E quando não estamos mais tão juntos, é porque o bem a natureza da razão nos impede, mais quando juntos já fizemos o bem, um para o outro, que era devido há certo tempo-espaço. Então e esperar que nova oportunidade surja e perceber que novo ciclo se inicia, novas aprendizagens, ajudas, controvérsias, amores...
RelacionamentosVirtuais
Por não ser rígido e obediente as convenções, isso me faz andar na contramão. Não por modismo, mas, devido à criticidade da minha essência em ebulição. Tanta picardia tem um preço a ser pago, diria que, até alto demais. Mas, eu aguento. Quem disse que eu quero, e devo ser mais um rosto na multidão?
Amigos, mesmo que virtuais, chegam quando todos parecem ter ido embora, em momentos que até a gente quer ir embora, seja lá onde isso fique...  Os amigos nos amam incondicionalmente. Por vezes brigamos, e às vezes até conseguimos enxergá-los vendo seus defeitos pela momentânea supressão da cortina que os envolve e encobre, tirando-lhes os defeitos. E se fazemos as pazes, aí então sabemos que foi tanto maior  a satisfação no coração de quem mais encontrou o perdão. Sentimos que alguns “amigos” que estão distantes, são como aquela roupa predileta antiga. Não somos mais vistos com ela, mas com certeza está embalado, e bem guardada. Nunca mandaremos fazer outra igual, pois sabemos nunca será a mesma. Isto me lembra Walter Benjamim mais ou menos assim: “cada momento vivido é único e singular, nunca mais será o mesmo” mesmo que meticulosamente atentássemos para reproduzir cada detalhe de um fato de nossa vida. Cada passagem é representada por ínfimo e singular tempo e detalhes, que já terão se passado (coisa do real misturado com virtual), e então... Voltando a roupa... em casos de nostalgia apelamos à musa Memória (espaço-tempo), em que até cheiros conseguem ficar guardados por muito tempo. A manifestação do amor, creio, transcende fé e crenças e prevalecem manifestar-se neste mesmo amor (gostar). E quanto mais amamos, mais encontramos e mais sentimos o desejo de amar, mesmo que virtualmente. Às vezes os amores, inigualáveis, nos fazem suportar as dores inevitáveis da vida, e apreciar as delícias infindáveis dos sentidos da existência, mesmo quando virtual (aprendi usando a net, e quebrando o preconceito é claro, que virtual não tem a ver com “real ou tangível”, mas  com “tempo quase imediato”). 
Mundo Virtual - Meu tempo quase que imediato
Neste mundo virtual, minha fragilidade é diretamente proporcional a minha força, com o seguinte diferencial: Até nos meus dias mais sombrios, eu não deixo de me encarar; Quando a gente consegue se ler e se analisar com maestria, até as contradições são diluídas; Não sou dependente afetivo de ninguém. Desejo e sinto carência, caminho sozinho (sem vitimização por isso) como qualquer mero mortal, mas, não preciso de muletas afetivas para caminhar;
Que a paz contagiante e plena da possibilidade espiritual que nos transcende além de corpo e mente esteja com vocês, virtual e presentemente...
Atenciosamente,
Este ser virtual que lhes escreve, virtualmente.

2 comentários: