Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

quarta-feira, 4 de abril de 2012

ENCONTRADOS FÓSSEIS DE EMBRIÕES COM 280 MILHÕES DE ANOS NO BRASIL E NO URUGUAI

Uma equipe internacional de cientistas descobriu no Brasil e no Uruguai alguns fósseis de embriões de répteis com aproximadamente 280 milhões de anos, informou nesta terça-feira o Centro Nacional de Pesquisas Científicas da França (CNRS).
Os embriões destes répteis pré-históricos e aquáticos, denominados mesosauros, são 60 milhões de anos mais velhos que os que haviam sido registrados até agora.
Os embriões de répteis mais antigos já vistos, com 280 milhões de anos
 e pertencentes ao grupo dos mesossauros.
Além disso, o estudo, publicado na revista científica "Historical Biology", apresenta novas informações sobre o modo de reprodução dos mesosauros, embora não chega a esclarecer se os mesmos eram vivíparos (quando embrião se desenvolve dentro da fêmea) ou ovíparos (se desenvolvem em um ovo).
A equipe é formada por Graciela Piñeiro, professora adjunta do Departamento de Evolução da Faculdade de Ciências de Montevidéu; Michel Laurin, do CNRS, a doutora uruguaia Melitta Meneghel e Jorge Ferigolo, da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul.
Fósseis encontrados
Os paleontólogos estudaram as espécimes em gestação e demonstraram que os mesosauros que povoavam este território (o município de Iratí, no Paraná) armazenavam os embriões no útero durante a maior parte do desenvolvimento embrionário e, por isso, acham que podem se tratar de exemplares vivíparos.
Em Mangrullo, no nordeste do Uruguai, e também na bacia do Paraná, a mesma equipe de cientistas encontrou 26 espécimes de mesosauros adultos, todos associados a embriões e seres que datam da mesma época que os fósseis encontrados no Brasil.
O achado "é difícil de ser catalogado, mas provavelmente se trata, na maior parte dos casos, de embriões no útero, o que reforça a tese de que os mesosauros eram vivíparos", explicaram os cientistas do CNRS.
Os especialistas, no entanto, também encontraram um ovo isolado que coloca em dúvida a opção do viviparismo e indica que os mesosauros do Uruguai botavam ovos em um estado avançado de desenvolvimento. Por conta desta descoberta, a tese da oviparidade não foi descartada. 
Reconstituição do embrião de um mesosauro encontrado no Uruguai
 Foto: © Gustavo Lecuona
Fonte:EFE

Nenhum comentário:

Postar um comentário