Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

segunda-feira, 16 de abril de 2012

UM APARTHEID SILENCIOSO NO MORRO DA PROVIDÊNCIA ROCINHA

O morro vai sediar o projeto Porto Maravilha, com teleférico e plano inclinado para os turistas que virão para a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 – como a Pública mostrou em janeiro. Por isso a comunidade tem sofrido "remoções compulsórias".  
"Teleférico para que, precisam e fazer ações que efetivamente acabe com o abismo que existe entre as favelas e o asfalto".
O Morro da Providência vive um apartheid silencioso é uma ferida mal cicatrizada, aberta, do descaso social. Na verdade é uma bomba relógio que explode todos os dias em conflitos entre traficantes e força de segurança pública, violência, drogas prostituição e problemas econômicos.
Ali estão pessoas do povo, esquecidas pelo governo e da sociedade civil, que encontraram uma maneira de sobreviver e de se divertir. Comem, e a maioria trabalham informalmente, jogam baralho, oram e praticam seus ritos religiosos.
As situações das casas estão longe de ser ótima. A maioria dormem amontoados, sobre colchões espalhados pelo chão e, muitas vezes, o tempo transcorre lentamente, mas o companheirismo e a solidariedade que existe entre eles permitiram que, apesar da situação física que se encontram e das condições em que vivem, mais não se esquecem de como sorrir. 

O sociólogo Darci Ribeiro – que dedicou a vida à interpretação do Brasil – disse em um de seus Ensaios Insólitos que o negro não é inferior, mas que foi inferiorizado na sociedade brasileira – pelos mesmos meios através dos quais a elite dá manutenção ao silencioso projeto de apartheid social e racial.
Agora estamos vendo a sociedade fazer com os moradores do Morro da Providência o que faziam e fazem com o negro.
 **Apartheid
Casas do Morro da Providência são marcadas para demolição.
Foto: Leo Lima
A casa de Neusimar, trabalhadora autônoma que mora com a família de sete pessoas no Morro da Providência, no Rio de janeiro, está marcada com a sigla SMH (Secretaria Municipal de Habitação). Isso significa que ela vai cair. Todas as casas e prédios vizinhos já foram demolidos porque os moradores aceitaram o aluguel social oferecido pela prefeitura, no valor de 400 reais.
Neusimar resiste porque não quer sair da casa onde sua mãe nasceu e cresceu com toda a família para um futuro incerto: “Onde vamos achar uma casa para alugar por  400 reais? Quem vai querer alugar uma casa para mim? Estou desempregada, minha mãe é doente, temos uma família grande. Não estamos aqui por teimosia, mas não vamos sair para ficar como as pessoas que a gente vê sair e ficar na rua porque não conseguem alugar nada” explica. Ela conta que sente a sua situação mais complicada a cada dia: “Está tudo no chão ao redor da minha casa, afetou a estrutura, agora estamos mesmo em situação de risco”.
Histórias como a dela são contadas no vídeo Morro da Providência, do coletivo "Entre Sem Bater", formado por alunos da Escola Popular de Comunicação Crítica (Espocc) – projeto do Observatório de Favelas que oferece a jovens e adultos, moradores de espaços populares do Rio de Janeiro, acesso a diferentes linguagens, conceitos e técnicas na área da comunicação. O mini documentário foi feito como um trabalho de conclusão de curso, mas o coletivo cresceu e os envolvidos continuam a pesquisar e documentar as remoções no Morro da Providência e outros lugares.
Crianças do Morro da Providência protestam contra a destruição da quadra.
Foto: Leo Lima
Além das remoções, o vídeo (abaixo) mostra os preparativos para a demolição da quadra do morro, onde eram feitos campeonatos de futebol e os ensaios da escola de samba da comunidade. Leo Lima, fotógrafo e integrante do Entre Sem Bater, conta que logo após a conclusão do filme a quadra foi abaixo e deu lugar à construção da torre do teleférico.

Inicio do trabalho de documentação realizado pelo projeto “Entresembater”, com a intenção de retratar a situação enfrentada pelos moradores que vem sofrendo ameaças de remoção por parte do poder público no Rio de Janeiro.
O projeto “entresembater” propõe-se a refletir e gerar um debate sobre o direito à cidade e à moradia, tendo em vista as possibilidades de ocupação territorial da mesma, documentando quatro situações emblemáticas no atual contexto da Cidade do Rio do Janeiro.
Sua participação é importantíssima!
Através do canal www.entresembater.org.br, onde você encontra, além do material produzido acerca do tema, um espaço disponível para quem quiser colaborar com qualquer tipo de mídia.
Conheça, colabore e compartilhe! “EntresemBater”.

**O termo apartheid se refere a uma política racial implantada na África do Sul. De acordo com esse regime, a minoria branca, os únicos com direito a voto, detinha todo poder político e econômico no país, enquanto à imensa maioria negra restava a obrigação de obedecer rigorosamente à legislação separatista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário