Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

quinta-feira, 2 de junho de 2011

ACORDO SOBRE A MUDANÇA DO CLIMA NO PLANETA NÃO AVANÇA

O mundo mais uma vez não fechará este ano um acordo completo sobre o clima, segundo os países desenvolvidos, que querem um foco maior nos recursos e na preservação das florestas. As negociações da ONU serão retomadas na Alemanha na semana que vem.
Um novo adiamento, após outras duas tentativas, deve colocar fim à esperança de se chegar a um acordo para substituir o Protocolo de Kyoto antes que ele expire, no fim de 2012, deixando uma brecha legal e prováveis arranjos improvisados durante anos.
Protocolo de Kyoto uma balela.
Uma cúpula em Copenhague em 2009 desviou-se do seu curso por causa da recessão mundial e de disputas políticas. As esperanças agora estão diminuindo para a conferência de Durban, na África do Sul, este ano.
Os países em desenvolvimento querem a prorrogação de Kyoto, que compromete apenas os países ricos a cortarem as emissões de gases-estufa até 2012. Mas o Japão, a Rússia e o Canadá rejeitam essa possibilidade e preferem um acordo novo e mais amplo, em um impasse entre países ricos e pobres que ecoa as negociações do comércio mundial.
"Em Durban, é praticamente impossível ver um acordo legalmente vinculante, se levarmos em consideração a posição de vários países, incluindo os Estados Unidos e a China", disse Akira Yamada, que chefiará a delegação do Japão na próxima rodada de conversações em um encontro de duas semanas em Bonn, na Alemanha, entre 6 e 17 de junho.
A China e os EUA são os dois principais emissores de carbono do mundo. O Protocolo de Kyoto, porém, não restringe as emissões da China e os EUA foram o único país industrializado a não ratificar o pacto.
Os EUA exigem "simetria jurídica" em um novo acordo, segundo o qual as metas climáticas para a China teriam a mesma força das restrições impostas aos países ricos. A China diz que sua prioridade agora deve ser o crescimento de sua economia a fim de acabar com a pobreza.
Muitos países em desenvolvimento alegam que a ampliação do Protocolo de Kyoto é vital.
"O Protocolo de Kyoto é um elemento essencial para qualquer estratégia ampla que lide com a mudança climática e também a chave para manter a confiança entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento", disse Colin Beck, representando as Ilhas Salomão.
Ainda há muitas questões a serem resolvidas este ano, por exemplo, como levantar 100 bilhões de dólares em ajuda climática para países pobres anualmente até 2020, como compartilhar tecnologias de energia limpa, as formas de aumentar a fiscalização dos países e combater o desmatamento, segundo o negociador-chefe da União Europeia, Artur Runge-Metzger.
Os países fecharam acordos iniciais sobre esses temas em uma reunião de ministros no México no fim do ano passado, mas não houve passos decisivos.
"Em Bonn, queremos uma discussão prática e pragmática", afirmou o japonês Yamada.

Fonte: Reuters - Por Gerard Wynn e Alister Doyle

Nota do Blog: Diante da efetivação do Protocolo de Kyoto, metas de redução de gases foram implantadas, algo em torno de 5,2% entre os anos de 2008 e 2012, coisa ínfima para a mudança climática do Planeta. O Protocolo de Kyoto foi implantado de forma efetiva em 1997, na cidade japonesa de Kyoto, nome que deu origem ao protocolo. Na reunião, oitenta e quatro países se dispuseram a aderir ao protocolo e o assinaram, dessa forma, comprometeram-se a implantar medidas com intuito de diminuir a emissão de gases. Só que ninguém cumpriu com quase nada do que foi pré-estabelecido, ou seja, temos que admitir o fracasso do Protocolo de Kyoto e confessar a incompetência dos países envolvidos que não promovem a dignidade do ser humano, e demonstram a incapacidade de mobilização global para se reverter o atual quadro de aumento de temperatura.
EUA - Maior emissor de  COdo Planeta  

2 comentários:

  1. EUA, responsável por 25% pela poluição mundial, não deseja comprometer o desenvolvimento econômico do próprio país! Como ficam os países em desenvolvimento? Todos desejam o bem estar e a sobrevivência do planeta? POR QUE NÃO SE REVOLTAM CONTRA EUA?Preservem suas matas, dêem destinos certos à seus lixos, basta de tanto consumismo! Invistam nos países subdesenvolvidos que foram vítimas dos GRUPOS PODEROSOS E ajudem desenvolvimento econômico sustentável. Estou farta de tanta miséria e ignorância!!!

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente, os EUA querem implantar a política do "eu posso" os outros países não. Mais não império que dure para sempre, qualquer hora a casa deles caem.

    ResponderExcluir