Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

ÁFRICA DO SUL ANUNCIA PLANO PARA REDUZIR À METADE INFECÇÕES DE HIV

O presidente sul-africano, Jacob Zuma, revelou nesta terça-feira, Dia Mundial de Luta contra a Aids, um plano para reduzir à metade as infecções por HIV nos próximos cinco anos, reforçando uma mudança de postura do país após décadas de um negacionismo mortal.
O plano de cinco anos é o primeiro esboçado desde a deposição, em 2008, do presidente Thabo Mbeki e de seu ministro da Saúde, Manto Tshabalala-Msimang, por defender o consumo de legumes verduras no lugar da ingestão de medicamentos para tratar a Aids.
Apesar de suas gafes - em uma ocasião ele chegou a dizer ter tomado uma ducha para evitar se infectar por HIV -, Zuma expandiu drasticamente o programa de tratamento da Aids na África do Sul, que é o maior do mundo e atende 1,3 milhão de pessoas.
O presidente sul-africano, Jacob Zuma, discursa no Dia Mundial de Combate à Aids,
em Port Elizabeth
"Estamos superando o medo e a confusão de forma constante. Superamos divisões. Deixamos de fazer do HIV e da Aids um campo de batalha no qual um enfrenta o outro", disse Zuma em um discurso na cidade de Port Elizabeth, ao sul do país.
O novo plano prevê a implementação dos esforços de prevenção para reduzir à metade as novas infecções de HIV e tuberculose até 2016 e colocar 80% dos pacientes habilitados em tratamentos com drogas antirretrovirais para combater a doença.
A África do Sul tem 5,6 milhões de pessoas vivendo com HIV em uma população de 50 milhões de habitantes, e a expansão do tratamento obteve alguns ganhos no combate à epidemia.
O número de mães que transmitem o vírus para seus filhos durante o parto despencou, enquanto a taxa de novas infecções caiu 22% durante a última década, assim como a mortalidade.
Em janeiro de 2010, apenas 495 instalações de saúde puderam colocar pacientes em tratamento com medicamentos. Agora são 2.948, segundo Zuma.
O número de enfermeiras habilitadas para tratar pacientes com Aids também saltou de 290 para 10.542.
Nos últimos dois anos a África do Sul também fez grande pressão para disponibilizar serviços de testagem, e 13 milhões de pessoas fizeram exames de HIV desde abril de 2010, quando uma campanha nacional foi lançada.
Zuma não fez menção ao custo do novo plano, mas a imprensa local estimou o valor em 131 bilhões de rands (US$ 16 billhões).


Nenhum comentário:

Postar um comentário