Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

BACALHAU, COM 50% MENOS DE SAL, PARA HIPERTENSOS

Cientistas reduzem quantidade de sal no peixe já dessalinizado
Uma equipe de cientistas da Universidade Politécnica de Valência (UPV) conseguiu reduzir em 50 por cento a quantidade de sal no bacalhau já dessalinizado, obtendo assim um produto final que preserva todas as propriedades sensoriais e que é particularmente adequado para pessoas com hipertensão.
Segundo a investigação, publicada no Journal of Food Engineering, a chave para reduzir a quantidade de sal no bacalhau é substituir parcialmente sódio com potássio após o processo de dessalinização.
“Assim que dessalinizamos o bacalhau, introduzimos as postas numa solução de cloreto de potássio. Durante este processo, acontece uma troca parcial de sódio para potássio, como que uma segunda dessalinização. Assim, podemos obter um pedaço de bacalhau que contém 50 por cento menos sódio do que um bacalhau dessalinizado normalmente", explica José Manuel Barat, um dos cientistas da UPV.
Os resultados de vários estudos que foram realizados em laboratórios da UPV também mostram que o peixe mantém todas as suas propriedades de sabor, textura, etc. Como ainda contém bastante sal, pode ser armazenado sob refrigeração para quando for necessário.
Este novo método proposto por cientistas espanhóis responde a uma procura cada vez mais importante da indústria de alimentos para o desenvolvimento de produtos com pouco sal.
José Manuel Barat no laboratório da UPV
“Com esta técnica, abrimos a porta para oferecer um produto novo, tanto para os consumidores que, por razões médicas, devem ter pouco sal na sua dieta, como ao público em geral, que são aconselhados a reduzir sua ingestão de sódio. Além disso, através da substituição de cloreto de sódio com cloreto de potássio podemos obter um produto ainda mais saudável”, sublinha José Manuel Barat.

Nenhum comentário:

Postar um comentário