Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

terça-feira, 15 de novembro de 2011

INDÍCIOS DE CÉSIO RADIOATIVO ENCONTRADOS A 500 QUILÔMETROS DE FUKUSHIMA

Um estudo realizado por pesquisadores internacionais revela indícios de césio radioativo, em níveis inferiores aos limites de segurança, em áreas situadas a mais de 500 quilômetros da usina nuclear de Fukushima, informou nesta sexta-feira o canal de televisão pública "NHK".
O estudo, do qual participaram três pesquisadores japoneses, simula a propagação do material radioativo e o compara com amostras tomadas no solo e nas plantas durante um mês a partir do dia 20 de março, nove dias depois do início da crise nuclear na central de Fukushima Daiichi.
Fukushima Daiichi Antes
Fukushima Daiichino dia do acidente
Os resultados sugerem que restos de césio-137, um material radioativo com uma vida média de 30 anos, teriam chegado a um nível de 250 becquereles por quilo em algumas zonas da ilha de Hokkaido e uns 25 becquereles por quilo nas áreas montanhosas das regiões de Chugoku e Shikoku, segundo a "NHK".
O estudo, publicado na revista americana ""Proceedings of the National Academy of Sciences", detalha que o césio poderia ter se acumulado ali por causa da chuva e assinala que os níveis detectados não requerem descontaminação.
Radiotividade
No entanto, advertem que seria necessário descontaminar áreas da província de Fukushima próximas à central, onde os limites de césio estariam acima dos considerados seguros para o cultivo.
O estudo coincidiu com o anúncio de um grupo de cientistas e veterinários japoneses que analisarão a radiação no gado da zona de exclusão decretada pelo Governo em um raio de 20 quilômetros da usina de Daiichi.
Segundo os pesquisadores, 3.500 cabeças de gado, pastam sem manejo adequado, em Minamisoma depois que os criadores evacuaram a zona depois do pior acidente nuclear dos últimos 25 anos.
O grupo capturou 70 vacas para analisar seus índices de contaminação radioativa e obter dados que permitam calcular o impacto da radiação nos alimentos e o grau de exposição nos seres humanos.
Fonte: EFE
A Ilha de Hokkaido (no alto) situa-se bem distante de Fukushima - Local do acidente Nuclear


Nenhum comentário:

Postar um comentário