Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

MONÓXIDO DE CARBONO (CO) EM PEQUENAS DOSES ACALMAM OS NERVOS

Os testes efetuados com transeuntes mostraram que o gás tem um efeito narcótico
que combate o estresse (foto arquivo)
O monóxido de carbono (CO), um gás tóxico e potencialmente mortal, tem paradoxalmente um efeito calmante se aplicado em pequenas doses, revela um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Tel Aviv.
"Os testes efetuados com transeuntes em Tel Aviv mostraram que o gás tem um efeito narcótico que combate o estresse provocado pelo barulho e pelas multidões", garantiu o professor Itzhak Schnell.
Os pesquisadores pediram a 36 pessoas, com entre 20 e 40 anos, que passassem dois dias em Tel Aviv percorrendo as ruas, restaurantes, mercados e centros comerciais monitorados por sensores que registravam ritmo cardíaco e o nível de poluição ao qual estavam submetidos.
Os investigadores chegaram à conclusão de que a poluição menos suportável é a sonora, e que pequenas doses de monóxido de carbono parecem reduzir a tensão.
O estudo, publicado pela revista internacional "Environmental, Monitoring and Assessment", busca avaliar o impacto de quatro fatores ambientais: temperatura, monóxido de carbono, multidões e ruído.
Ao contrário de numerosos gases, o monóxido de carbono não tem odor nem efeito irritante, o que o torna muito difícil de detectar, aumentando seu risco para a saúde.
Fonte: AFP

Nenhum comentário:

Postar um comentário