Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

CINZAS DO VULCÃO TUNGURAHUA CHEGAM A 4 KM DE ALTURA

As colunas de cinzas lançadas pelo vulcão Tungurahua, no centro andino do Equador, alcançaram 4 km de altura esta terça-feira, dois dias depois de reativar e forçar a declaração de alerta laranja em vários povoados, informou o Instituto Geofísico (IG) do país.
"O processo eruptivo mantém emissão constante de cinzas, alcançando até 4 km sobre o cume", informou o IG em seu relatório mais recente, destacando que o material afeta os povoados vizinhos.
A instituição informou, ainda, o emissão de bloco incandescente e fluxos piroclásticos (mistura de gases, cinzas e fragmentos de rocha a temperaturas de até 800 graus centígrados), que desceram a 1.000 metros da cratera.
Colunas de cinzas alcançaram 4 Km de altura
"A parte alta do vulcão, os vales e suas desembocaduras são as áreas de maior risco", embora "não tenham ocorrido nem chuvas nem avalanches", acrescentou o IG, que registrou dez explosões.
Na noite de segunda-feira houve boas condições na região do maciço, de 5.029 metros de altitude e 135 km ao sul de Quito, que permitiram observar a "liberação permanente de material incandescente", segundo boletim prévio do IG.
Enquanto isso, o Comitê de Operações de Emergência (COE) da província de Tungurahua acompanhava a situação permanentemente devido ao aumento da atividade vulcânica e da declaração, na véspera, do alerta laranja (anterior ao vermelho, de máxima periculosidade) nas zonas de influência, informou a Secretaria Nacional de Gestão de Riscos (SNGR, Defesa Civil).

Nenhum comentário:

Postar um comentário