Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

terça-feira, 25 de outubro de 2011

COMPUTADORES MAIS VERSÁTEIS COM UM NOVO TIPO DE MATERIAL

Cientistas americanos anunciaram, na última semana, a criação de um material que pode revolucionar a produção de computadores. A partir de mudanças na forma como os circuitos elétricos são montados na máquina, tal material pode permitir uma série de vantagens na hora de confeccionar e utilizar um computador.
A descoberta, feita por pesquisadores da Universidade do Noroeste (Chicago, Illinois), é tão recente que ainda não tem nome. Mas o princípio da ideia é simples. Enquanto as empresas se esforçam para diminuir o tamanho de cada peça, deixando o computador menor como um todo, eles abordaram a questão por outro ângulo: tornar cada componente mais versátil, juntando as funções de duas ou mais peças em uma só.
Isso tem sido tentado, nos últimos tempos, através de transistores mais potentes, capazes de suportar melhor as passagens de sinal elétrico. O problema é que não é fácil adaptar grandes circuitos elétricos, onde há mudanças bruscas de intensidade (como na amplificação do som ou da luz, por exemplo) a peças cada vez menores.
Nova Tecnologia deverá baratear o custo do PC
Os circuitos de condução de sinais elétricos são formados por partículas de carga negativa, que precisam ser dispostas com antecedência em cada componente do computador. É por isso que não havia como uma peça fazer a função de duas; cada parte integrante do sistema tinha sua estrutura fixa de partículas.
Nesse ponto entra a solução dos cientistas dos EUA: eles desenvolveram um “mar” de partículas negativas móveis, que podem trafegar livremente em um circuito de partículas positivas. Assim, uma única peça de computador, dotada de um microchip feito com esse material (que ainda nem tem nome) pode realizar várias funções, conforme a maneira com que conduz as partículas de energia no sistema.
Essa versatilidade, segundo os cientistas, pode trazer vantagens além da diminuição de tamanho. Por exemplo, são necessárias menos peças para montar um computador, o custo de produção cai, e a tendência do preço nas lojas é cair também.
Fonte: BBC

Nenhum comentário:

Postar um comentário