Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

VACINA CONTRA A MALÁRIA REDUZ CASOS DE INFECÇÃO

Os resultados preliminares, publicados no «The New England Journal of Medicine», de uma das vacinas contra a malária a ser testada atualmente, revelam que as crianças a quem foram administradas têm metade das hipóteses de contraírem a doença.
A vacina, que está a ser trabalhada pelo laboratório britânico GlaxoSmithKline, é uma de duas a serem testadas no mundo. O estudo que lhe está na base, começou em 2009 e durou um ano, envolveu 15 mil crianças, com menos de 18 meses, em sete países da África, o continente mais afetado pela malária (Burkina Faso, Gabão, Gana, Quênia, Malauí, Moçambique e Tanzânia).
Anualmente, 225 milhões de pessoas contraem malária.
 (Cortesia Volker Brinkmann)
Conduzido por dezenas de cientistas, a investigação envolveu dois grupos de crianças: recém-nascidas entre as seis e as doze semanas e bebês entre os cinco e os dezessete meses. Passado um ano, registou-se metade dos casos de malária no grupo de crianças mais velhas, que receberam a vacina, comparando com as mais novas, que não a receberam.
“É uma incrível conquista científica. Estes dados colocam-nos muito perto da primeira vacina contra a malária”, afirmou Andrew Witty, chefe executivo da GlaxoSmithKline, citado pela BBC online. O laboratório está desenvolvendo o fármaco juntamente com o programa contra a malária da organização sem fins lucrativos PATH e que conta com o financiamento a Fundação Bill e Melinda Gates.
A empresa sublinhou ainda, porém, que a vacina nunca estará disponível antes de 2015, sendo necessário esperar pelos resultados definitivos, primeiro, e pela análise das agências internacionais, depois.
Laboratório ainda não fixou preço do fármaco
 Vacina sem preço
Ainda não foi fixado um preço para esta potencial vacina contra a malária, mas Andrew Witty garantiu que o laboratório – que já investiu 300 milhões de dólares (218,5 milhões de euros) até agora e deverá ainda gastar entre 50 a 100 milhões mais – “não pretende fazer dinheiro com este projeto”.
Anualmente, cerca de 225 milhões de pessoas contraem malária, o que resulta em aproximadamente um milhão de mortes, sobretudo entre crianças e grávidas africanas. Segundo a Organização Mundial de Saúde, tem havido progressos no combate à doença nos últimos dez anos, com um decréscimo bem perto de 20 por cento no número de mortes por ela causadas em todo o mundo.

2 comentários:

  1. NADA É LENTO. A RAPIDEZ É DEIXAR A DOENÇA SE INSTALAR E DEPOIS VENDER A POSSÍVEL CURA.

    ResponderExcluir