Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

sábado, 20 de agosto de 2011

ENGUIA PRIMITIVA É DESCOBERTA NA MICRONÉSIA


Animal tem características de espécies existentes há 200 milhões de anos
Enguia é conhecida como "fóssil vivo".
Um grupo de cientistas descobriu uma espécie de enguia primitiva – com características de espécies existentes há 200 milhões de anos. O animal foi localizado a 35 metros de profundidade numa caverna submarina nas ilhas da República de Palau, na Micronésia, no Oceano Pacífico. A enguia, batizado de Protoanguilla palau, tem características anatômicas que não estão presentes nas espécies mais atuais.
A equipe de investigadores norte-americanos, japoneses e palauenses afirma que as suas caraterísticas sugerem que a espécie tem uma história de evolução longa e independente. E, por essa razão, os cientistas até lhe chamam de "fóssil vivo". Até agora são conhecidas 819 espécies de 19 famílias diferentes, mas esta enguia é tão diferente que os investigadores tiveram que criar uma nova família taxionómica para descrever a sua relação com outras espécies.
O animal usado como base para o estudo é uma fêmea de 18 centímetros de comprimento, capturada durante um mergulho e apresenta características da época mesozoica, quando ainda os dinossauros habitavam a terra. O Instituto e Museu de História Natural de Chiba, no Japão, divulgou a imagem da enguia no jornal Proceedings of the Royal Society B.

Nenhum comentário:

Postar um comentário