Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

SUBSISTEMAS TERRESTRES E O CICLO HIDROLÓGICO

Uum conjunto formado por diferentes partes ou subsistemas em interação, este é o nosso Planeta. Existem quatro subsistemas principais na Terra: a hidrosfera, a atmosfera, a geosfera e a biosfera.
Subsistemas
Hidrosfera – somatório de toda a água existente na superfície terrestre. Os oceanos, os rios, os lagos, os glaciares e as águas subterrâneas fazem parte da hidrosfera.
Hidrosfera
Atmosfera – constitui a camada gasosa da Terra sendo, essencialmente, composta por nitrogênio (78%) e oxigénio (21%), seguindo-se o argônio (0.9%) e o dióxido de carbono (0.03%), para além de outros gases menos significativos.
Atmosfera
Geosfera – a camada rígida que constitui a crosta terrestre, englobando as grandes massas continentais e as bases dos oceanos, bem como os restantes materiais que se encontram no interior da Terra. É na geosfera que a maior parte dos seres vivos encontra o suporte para andar e habitar.
Biosfera – formada pelo conjunto dos seres vivos que habitam a Terra. Existe uma interação constante entre os seres vivos e os diferentes subsistemas terrestres.
Biosfera e o Ciclo do Carbono
Litosfera é a camada da Terra localizada na parte externa, é constituída por rochas e solo de níveis variados e composta por grande quantidade de minerais.
Também denominada crosta terrestre, a litosfera possui espessura de 72 km abaixo dos continentes, o que leva o nome de crosta continental, e espessura de 8 km abaixo dos oceanos, o que leva o nome de crosta oceânica, que é mais densa por causa da grande quantidade de ferro que contém.
As rochas que constituem a litosfera podem ser:
Rochas magmáticas: Também conhecidas como rochas ígneas, são formadas pelo magma localizado abaixo das rochas que se solidificam.
Rochas sedimentares: São formadas pela falta de detritos provocados por ações erosivas.
Rochas metamórficas: São formadas por rochas magmáticas e sedimentares que sofreram alterações.

Pedosfera é a camada mais externa da Terra e é composta do solo e sujeita a processos de formação de solo. Assim, designa o conjunto dos solos a nível mundial. A pedosfera existe da interação entre a litosfera, atmosfera, hidrosfera e biosfera.
Pedosfera é a Interação entre todas as esferas
 A INTERAÇÃO DOS SUBSISTEMAS E CICLO HIDROLÓGICO
O nosso planeta é, então, constituído por quatro subsistemas, que interagem e permanecem em equilíbrio entre si. Qualquer alteração provocada pelo Homem num destes subsistemas irá ter consequências graves no sistema Terra e alterar o ambiente em que a espécie humana habita e do qual depende a nossa sobrevivência.
Interação e Ciclo Hidrológico
O ciclo hidrológico é a circulação contínua de água ao longo da Terra e entre os sistemas da Terra. Em várias fases, a água, que na maioria dos casos é sinônimo com os movimentos da hidrosfera através da atmosfera, a biosfera, e a geosfera, em cada caso, executando funções essenciais para a sobrevivência do planeta e suas formas de vida. Assim, ao longo do tempo, a água evapora dos oceanos, em seguida, cai como precipitação, é absorvido pela terra e, após algum período de tempo, faz o seu caminho de volta para os oceanos para iniciar o ciclo novamente. A quantidade total de água na Terra não mudou em muitos bilhões de anos, embora a distribuição de água no planeta seja desigual. A água que nós utilizamos (potável), embora vital para os seres humanos e outros seres vivos, torna-se apenas cerca de 0,0001% do volume total de água na Terra; está presente muito mais no subsolo e em outros locais do meio ambiente (nos pólos glaciais). 

As geosfera onde a água interage:
Litosferaé a camada da Terra localizada na parte externa, é constituída por rochas e solo de níveis variados e composta por grande quantidade de minerais.
Podosfera: é a camada mais externa da Terra e é composta do solo e sujeita a processos de formação de solo. Ela existe da interação entre a litosfera, atmosfera, hidrosfera e biosfera.
Biosfera – formada pelo conjunto dos seres vivos que habitam a Terra. Existe uma interação constante entre os seres vivos e os diferentes subsistemas terrestres.
Hidrosfera – somatório de toda a água existente na superfície terrestre. Os oceanos, os rios, os lagos, os glaciares e as águas subterrâneas fazem parte da hidrosfera.
Atmosfera – constitui a camada gasosa da Terra sendo, essencialmente, composta por nitrogênio (78%) e oxigênio (21%), seguindo-se o argônio (0.9%) e o gás carbônico (0.03%), e outros gases menos significativos.
Na Atmosfera reage com os gases atmosféricos, podendo ter sua composição química alterada, principalmente com o dióxido de carbono, transformando-se, algumas vezes, em chuva ácida.
Na Litosfera, agrega pequenas partículas (água de lavagem da vegetação) e matéria inerte (serapilheira), modificando sua composição química.
Na Pedosfera, a água subterrânea tem sua composição química totalmente alterada, dependo do solo, pois reage com os minerais presentes no mesmo. Algumas vezes formando novos minerais, denominado intemperismo químico, assim também como os processos físicos das quebras das rochas por congelamentos das águas (em locais de grande altitude) existentes no solo.
Na Hidrosfera a água está presente com todos os seus aspectos físicos, químicos e biológicos, sempre sofrendo modificações químicas, com o ciclo hidrológico.
Na Biosfera, a água reage quimicamente, como mantenedora da vida, uma interação constante entre os seres vivos e os diferentes subsistemas terrestres.
Ciclo do Carbono
Funcionalmente, as plantas são os principais mediadores entre o mundo físico e biológico. Energia, carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio, os ingredientes básicos para a vida, todos entram no mundo biológico, principalmente através das plantas. Fungos e bactérias, por digestão de produtos animais e vegetais na fotossíntese, retornam os elementos à sua forma inorgânica (ciclo do carbono).
Embora tenhamos identificado onde e como as plantas se encaixam nesses ciclos globais, estamos aquém de entender os efeitos no ecossistema das perturbações sobre os ciclos. O problema da intensificação que acontece em uma folha de uma planta inteira a uma comunidade a um bioma e para o planeta continua a ser um desafio. E nós ainda estamos descobrindo como as plantas afetam suas comunidades e os ciclos de grande escala. Por exemplo: Musgos, outras briófitas e líquens cumprem papéis poucos compreendidos, mas significativos papéis. Eles absorvem nutrientes e jogam metais tóxicos para fora do sistema. O Sphagnum (turfa) musgos é de enorme importância no ciclo global do carbono, que chega a suprir quase que 2% do que é necessário para o planeta. Determinadas espécies de árvore emitem grandes quantidades de hidrocarbonetos gasosos com efeitos naturais até agora desconhecidos, mas com implicações potenciais para políticas da qualidade do ar
A maior parte da produção fotossintética nos oceanos é desenvolvido pelas algas, principalmente, minúsculos seres conhecidos como fitoplâncton e sua produtividade é significativamente afetada pela disponibilidade de ferro, um fenômeno simples e surpreendente. Além disso, a delimitação das taxas de crescimento do plâncton e a distribuição permanece indefinida, um dos empecilhos para a compreensão das alterações climáticas globais.
As interações entre os organismos criam um ecossistema e, é uma rica área de investigação. Interações envolvendo animais, especialmente de predação, mas também de polinização e herbívora, têm recebido grande atenção dos biólogos, embora interações das plantas podem ser mais importante a nível de ecossistema. Associações entre fungos micorrizos e plantas tende a  transformar as plantas com sementes pois estes organismos filamentosos crescem sobre suas raízes. No entanto, a natureza da associação não é definitivamente conhecida. As micorrizas (literalmente raízes fungosas) ajudam na absorção nutrientes nos solos muitos pobres, dos trópicos, tê-los, é bom, uma vez que eles são capazes de viver livremente no solo também.
Resumidamente seria assim: o gás carbônico que se encontra, livre, na natureza é absorvido ou respirado pelos seres vivos; o dióxido de carbono é liberado pelos seres vivos ao se alimentarem; os microrganismos decompõe restos de animais e plantas; compostos de carbono são transformados em dióxido de carbono pelas bactérias. Na verdade nada escapa de nosso planeta, simplesmente é recirculado.

Atenção: Não copiem e coloquem como resposta da AD de DINÂMICA DA TERRA, pois sou Aluno da UAB - Cederj e estas são minhas respostas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário