Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

EXISTEM 8,7 MILHÕES DE ESPÉCIES NA TERRA


A maioria ainda está para ser identificada.
A diversidade da vida é um dos aspectos mais marcantes do planeta, daí que descobrir quantas espécies habitam a Terra está entre as questões mais fundamentais e enigmáticas da ciência.
A mais recente estimativa de um grupo de investigadores da Universidade Dalhousie, Canadá, revela que o planeta Terra terá cerca de 8,7 milhões de espécies, a grande maioria das quais por identificar.
“Apesar dos 250 anos de classificação taxonômica e de mais de 1,2 milhões de espécies catalogadas numa base de dados central, os nossos resultados sugerem que cerca de 86 por cento das espécies terrestres e 91 por cento das espécies dos oceanos ainda esperam uma descrição”, explicam os cientistas no artigo publicado na revista PLOS Biology.
A árvore da vida para os animais inclui um reino, 32 filos,
 90 classes, 493 ordens, 5403 famílias e 94,240 gêneros
A catalogação de todas estas espécies poderá levar 1200 anos, ocupar 303 mil taxonomistas e custar 252 mil milhões de euros. Além disso, muitas espécies poderão extinguir-se antes de serem descobertas pelo homem.
O novo cálculo apresentado é considerado um dos mais fiáveis até ao momento e baseia-se no sistema desenvolvido por Carl Lineu, no século XVIII. Neste sistema, todas as espécies estão incluídas em grupos cada vez maiores que incluem espécies semelhantes.
Assim, para chegarem aos 8,7 milhões de espécies, os investigadores olharam para a árvore da vida que faz agrupamentos artificiais cada vez maiores e mais gerais das espécies. Os humanos pertencem à espécie Homo sapiens, ao gênero Homo, à família dos hominídeos (como o chimpanzé), à ordem dos primatas (juntamente com o lémure), à classe dos mamíferos (onde se inclui por exemplo o gato), ao filo dos cordados (que inclui peixes, aves ou répteis) e, finalmente, ao reino dos animais, como as formigas, as anêmonas e as minhocas.
A árvore da vida para os animais inclui um reino, 32 filos, 90 classes, 493 ordens, 5403 famílias e 94,240 gêneros. As espécies até agora descobertas são 953.434. Mas, quando a equipe do Canadá desenhou um gráfico com o número de cada nível da árvore, verificaram que se formava uma curva bem desenhada que previa a existência de 7,77 milhões de espécies de animais.
Depois de aplicarem a mesma estimativa a todos os reinos da vida, que inclui, entre outros, plantas e fungos, chegaram ao número total de espécies. Ao todo, 91 por cento das espécies que povoam os oceanos e 86 por cento das que estão em terra ainda são desconhecidas. Ou seja, já estão catalogados 1,32 milhões de espécies.
Os cientistas olharam para estas árvores das espécies já conhecidas e fizeram extrapolações sobre o número total de espécies que poderá haver no planeta, tendo chegado ao número de 8,7 milhões. As anteriores estimativas eram menos precisas e apontavam para um número total de espécies entre 3 e 100 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário