Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

FUNGOS PODEM ACELERAR REFLORESTAMENTO


Estudo está a ser realizado na Escola Superior de Biotecnologia (Universidade Católica, Porto)
A introdução de fungos tem sido feita em pinheiros-bravos
A introdução de fungos nas árvores a plantar depois de um incêndio pode ser uma das soluções para acelerar a reflorestação. Esta é uma das conclusões prévias do estudo que está a sendo desenvolvido por investigadores na área da Biotecnologia Ambiental da Escola Superior de Biotecnologia, da Universidade Católica (Porto).
Tendo como objetivo perceber de que modo é possível acelerar a reflorestação em solos queimados, o estudo, liderado por Paula Castro, envolve a aplicação de determinados fungos selecionados (fungos ectomicorrízicos) como facilitadores deste processo.
Os últimos dados da Autoridade Florestal Nacional (AFN) dão conta que a área queimada no primeiro semestre deste ano em Portugal quase triplicou em relação a 2010, atingindo um total superior a nove mil hectares. Encontrar uma solução para promover a eficácia da reflorestação é, assim, uma prioridade para os investigadores.
Estudos previamente realizados em áreas que sofreram queimadas demonstraram que a introdução de fungos no sistema radicular (nas raízes) pode promover até duas vezes o crescimento da planta após transplante definitivo para o solo. Isto porque os fungos proporcionam à planta uma maior absorção de água e de nutrientes do solo, podendo deste modo aumentar a sua taxa de crescimento e resistência.
O estudo tem sido realizado com pinheiro-bravo. Esta espécie é importante a nível nacional devido à sua larga distribuição geográfica em Portugal e também pela sua importância econômica. Esta aplicação – que vem acelerar e otimizar o processo de reflorestação no período pós-fogo – assume-se como uma forma de aliar as soluções da biotecnologia aos problemas da floresta.

2 comentários:

  1. Isso é maravilhoso! Aliás, acho que isto deveria ser algo de prioridade no planeta, já que os insanos gananciosos seguem devastando e extinguindo coisas importantíssimas da natureza. Infelizmente é preciso lutar muito no sentido de preservar a natureza, já que é tão "difícil" acabar com os predadores.

    ResponderExcluir
  2. Tem muita gente preocupada na proteção da Terra, são pessoas de mente aberta, coração puro que se entregam a uma causa que deveria ser de todos, pois o Planeta não tem dono. É nosso, de todos os terráqueos.

    ResponderExcluir