Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

EAD

terça-feira, 13 de setembro de 2011

COMO BACTÉRIAS RESISTEM AOS ANTIBIÓTICOS


Estudo com os micro-organismos publicado na revista «Science»
Uma equipe de cientistas da Universidade de Penn, nos Estados Unidos, descobriu como um grupo de bactérias evoluiu a ponto de se tornar resistente a antibióticos. A proteína em bactérias 'Staphylococcus aureus' poderá ser a responsável chave para a resistência. A investigação foi descrita na edição de março da revista «Science».
Staphylococcus aureus poderá ser a chave para a resistência
O estudo, coordenado por Squire Booker, pode ajudar cientistas no futuro a criarem substâncias para prevenir infecções hospitalares e a propagação de bactérias pela população. Segundo Booker é importante compreender como é que a presença do gene chamado "cfr" engana a ação dos antibióticos nos ribossomas das bactérias – dentro dos microrganismos responsáveis por produzir os meios necessários à sobrevivência.
O grupo de investigação possui agora um modelo em "3D" para conseguir perceber como é que esse gene torna a célula da bactéria "indestrutível" perante as drogas atuais.
Durante estudos anteriores, os cientistas descobriram que o gene se desenvolveu através das bactérias ‘Scaphylococcus sciuri’ e era responsável por controlar a produção de uma proteína fundamental para a resistência a antibióticos.
Mais tarde, o mesmo gene foi encontrado noutro tipo de bactérias, as Staphylococcus aureus – isoladas nos Estados Unidos, México, Brasil, Espanha, Itália e Irlanda –, resistentes a sete tipos de antibióticos. Estes micro-organismos têm causado infecções hospitalares no mundo todo.
Para compreender como a proteína regulada pelo gene "cfr" se comporta nas bactérias, os cientistas estudaram um processo conhecido como metilação – quando enzimas "marcam" uma região do nucleotídeo, a molécula responsável por servir da base ao DNA e ao RNA nas células. Descobriram que a proteína marca o nucleotídeo numa região diferente da comum – o que faz com que a ação dos antibióticos nos ribossomas deixe de existir.
Segundo Booker, o próximo passo será usar o novo conhecimento para desenvolver novos fármacos para serem administrados junto dos antibióticos tradicionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário