Esta foto foi escolhida pela BBC 28 de setembro, 2012 como uma das 20 mais bonitas

Sejamos proativos nas questões relacionadas às mudanças climáticas, pois não seremos poupados de seus efeitos devastadores a curto e longo prazo.
gmsnat@yahoo.com.br
Um Blog diferente. Para pessoas diferentes!

Grato por apreciar o Blog.
Comentários relevantes e corteses são incentivados. Dúvidas, críticas construtivas e até mesmo debates também são bem-vindos. Comentários que caracterizem ataques pessoais, insultos, ofensivos, spam ou inadequados ao tema do post serão editados ou apagados.

SENATED

SENATED
Senated - Seminário Nacional de Tecnologias na Educação - 100% ONLINE E GRATUITO de 22 a 28 de Outubro de 2017

domingo, 4 de setembro de 2011

TEMPESTADE TROPICAL “LEE” INUNDA NOVA ORLEANS NOS EUA


A tempestade tropical Lee atravessou neste domingo a costa leste do Estado norte-americano da Louisiana, onde a cidade de Nova Orleans se preparava para um dos maiores testes de suas defesas contra inundações desde que o furacão Katrina devastou a cidade em 2005.
O Centro Nacional dos Furacões, órgão dos EUA, informou que o centro do Lee estava cerca de 200 quilômetros a oeste e sudoeste de Nova Orleans, com ventos sustentados na velocidade máxima de 71 quilômetros por hora por volta de 8 horas (9 horas no horário de Brasília).
Área alagada em Nova Orleans, no sábado (3). (Foto: Bill Haber/AP)
A previsão era que os ventos se enfraquecessem gradualmente nos próximos dois dias e até 51 centímetros de chuva caíssem no sudeste do Estado, segundo o centro, sediado em Miami.
Em Nova Orleans a tempestade trouxe à memória o furacão Katrina, que em 2005 inundou 80 por cento da cidade, matou 1.500 pessoas e causou danos de mais de 80 bilhões de dólares à região, um popular destino turístico.
Metade da cidade fica abaixo do nível do mar e é protegida por um sistema de diques e comportas.
Os diques podem processar cerca de 2,5 centímetros de chuva por hora e a lenta trajetória da tempestade permanece sendo um motivo de preocupação. Houve relatos isolados de estradas e casas alagadas, mas nenhum registro de mortos ou feridos.
Fonte: Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário